16 de abril de 2024
Vila Nova Futebol Clube • atualizado em 12/08/2021 às 20:44

Hemerson Maria agradece confiança da diretoria em seu retorno ao Vila Nova

Hemerson Maria - Técnico (Foto - Núbia Alves - Vila Nova FC)
Hemerson Maria - Técnico (Foto - Núbia Alves - Vila Nova FC)

De volta para casa, esse é o sentimento destacado por Hemerson Maria no seu retorno ao Onésio Brasileiro Alvarenga. “Aqui tenho muita paz de espírito, sou bem quisto pelas pessoas”, destacou o profissional que inicia sua segunda passagem pelo Vila Nova Futebol Clube.

Em 2017 e 2018 ele dirigiu o Tigrão em 95 partidas e nas duas temporadas a equipe terminou na 7ª posição na Série B do Campeonato Brasileiro, brigando pelo acesso até as últimas rodadas da competição. “Tenho um sentimento de gratidão ao Vila por novamente ter confiado em nosso trabalho. Temos a intenção de fazer um bom trabalho aque e fazer uma marca de 95 jogos e quem sabe mais”.

O técnico disse que mesmo de longe acompanhou o crescimento colorado na gestão atual e que esse foi um dos motivos para retornar: “Desde que saí de Goiânia mantenho contato com quem ficou e só tem elogios. Quando cheguei percebi a diferença da estrutura”.

Salvador da Pátria

“Eu acredito muito em destino e procuro dar o meu melhor no dia a dia. Estou chegando hoje e pegando uma equipe bem estruturada, mas tem o trabalho do Ariel Mamede, do Bolívar, Márcio Fernandes, Wagner Lopes, do Higo Magalhães. Acredito que o destino me trouxe aqui no momento certo, em uma fase crucial da competição em que talvez eu possa ser importante pela experiência que eu tenho na Série B e agregar algum valor, mas não ser um salvador da pátria”.

Solução para o ataque

“Temos um Vila forte do meio campo para trás, é uma equipe que dificilmente leva gols e quando se fala isso não se exalta o comportamento dos jogadores da frente, que colaboram com a marcação. Para melhorar a questão ofensiva, não vai chegar o Hemerson Maria aqui e dar uma de mágico. Vamos continuar trabalhando muito”.

Elenco

“Acredito muito que o treinador precisa ter uma equipe que vai se adaptar ao modelo de jogo. Um dos motivos que me fizeram mudar essa postura foi o convite do Vila Nova e também a questão da adaptação. Conheço cada pedaço do OBA, do centro de treinamento e da cidade. O clube está muito mais organizado em termos de estrutura. O profissional que chega aqui tem ótimas condições. Só isso basta? Não. Mas analisando o elenco, vejo que tem características que gosto, como humildade, entrega e muita luta em campo.


Leia mais sobre: Esportes / Vila Nova Futebol Clube