28 de maio de 2022
Destaque 2

Hackers suspeitos de vazar dados de milhões de brasileiros foram presos pela PF

A Polícia Federal (PF) prendeu, nesta sexta-feira (19), dois hackers suspeitos de participação no crime de maior vazamento de informações pessoais cibernéticas no Brasil, em janeiro de 2021. Um deles foi preso em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e o outro em Petrolina (PE).

A Operação Deepwater cumpre cinco mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva, pelo vazamento de informações de 223 milhões de pessoas físicas e jurídicas, incluindo falecidos.

De acordo com a investigação, foi cumprido, em Uberlândia, o mandado de busca e apreensão de Marcos Roberto Correia da Silva, de 24 anos, conhecido como “Vandathegod”. Já Yuri Batista Novaes, é conhecido como “JustBR” e foi preso em flagrante em Petrolina (PE) por posse ilegal de arma. Na casa dele, a Polícia Federal apreendeu também 4 terabytes de dados, que serão periciados.

Continua após a publicidade

Ainda conforme as investigações, os dados disponibilizados na época eram de Cadastro de Pessoa Física (CPF), Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), renda, imposto de renda, fotos participantes do Bolsa Família e escores de crédito, em um fórum na internet especializado em trocas de informações sobre atividades cibernéticas. A divulgação de parte dos dados foi realizada gratuitamente por um usuário que disponibilizaria a venda do restante das informações sigilosas, por meio de pagamento em criptomoedas.

Marcos Roberto Correia da Silva também é acusado de participação em ataques aos sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que expôs informações administrativas de ex-servidores e ex-ministros, em novembro do ano passado, durante o primeiro turno das eleições municipais.

Em novembro de 2019, Vandathegod havia sido preso na Operação Defaced, por suspeita de invasão aos sites da Polícia Civil de Minas Gerais, do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), do Tribunal de Justiça de Goiás e do Exército Brasileiro.

Continua após a publicidade