19 de agosto de 2022
Política

Hacker suspeito de invadir sistemas do TSE é preso em Portugal

Fachada do edifício sede do Tribunal Superior Eleitoral (Foto: TSE)
Fachada do edifício sede do Tribunal Superior Eleitoral (Foto: TSE)

Um hacker suspeito de ter invadido sistemas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi preso neste sábado (28), em Portugal. A prisão dele se deu em uma operação conjunta da Polícia Federal e a Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e Criminalidade Tecnológica da Polícia Judiciária Portuguesa.

Outros mandados também foram cumpridos em São Paulo e em Minas Gerais, sendo três de busca e apreensão e três medidas cautelares de proibição de contato entre investigados, além do mandado de prisão e busca e apreensão em Portugal.

A operação refere-se ao inquérito instaurado para apurar a invasão do sistema e acesso a dados de servidores do TSE. As informações administrativas de ex-servidores e ex-ministros foram expostas após a eleição de primeiro turno, no dia 15 de novembro.

Continua após a publicidade

A PF aponta que um grupo de hackers brasileiros e portugueses, comandados por um português, foi responsável pelo ataque. Segundo a investigação, o objetivo era desacreditar a segurança do sistema de computadores da Justiça Eleitoral. Todavia, informou a PF, os sistemas relacionados à eleição não foram invadidos, pois não são ligados à internet.

“Não foram identificados quaisquer elementos que possam ter prejudicado a apuração, a segurança ou a integridade dos resultados da votação”, informou a PF.