20 de fevereiro de 2024
Destaque

Gustavo Mendanha prepara “grande encontro da oposição” em Quirinópolis

Gustavo Mendanha, articulador de oposições (Foto: Reprodução/DG)
Gustavo Mendanha, articulador de oposições (Foto: Reprodução/DG)

Principal nome que promete antagonizar com o governador Ronaldo Caiado (DEM) nas eleições de 2022, o prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha (ex-MDB), vai à Quirinópolis no próximo final de semana em um “grande encontro da oposição”. O ex-emedebista tem articulado em viagens no interior do estado fortalecer uma possível pré-candidatura ao Governo de Goiás, apesar de ainda não cravá-la.

Gustavo Mendanha concedeu entrevista exclusiva ao jornalista e editor-geral do Diário de Goiás, Altair Tavares em uma transmissão ao vivo nas redes sociais do jornal nesta terça-feira (23/11). Em um bate-papo que durou quase 40 minutos, o prefeito de Aparecida falou sobre transporte coletivo, administração pública, gestão da pandemia, política e eleições 2022. (a entrevista na íntegra você pode assistir no fim desta matéria).

LEIA TAMBÉM: Eleições 2022: Em Inhumas, Gustavo Mendanha continua agenda para pavimentar oposição

Em Quirinópolis, Mendanha não estará só. Ao seu lado, estarão os emedebistas Palo Cézar Martins e Gilmar Alves. O primeiro é deputado estadual no quinto mandato enquanto o segundo foi prefeito da cidade por quatro gestões. Lá, conciliará os ânimos de emedebistas remanescentes. “Eu acho que é uma missão que todos temos de ter principalmente no momento de retomada na política e no mundo empresarial. Precisamos buscar apaziguar. Eu busco a paz sempre principalmente com pessoas que convergem com o mesmo pensamento”, ponderou. 

Gustavo Mendanha pontuou que conseguiu reunir um time de políticos para articular como será a oposição em Goiás e o próprio classificou como “grande encontro”. “E nesse sentido tanto o Gilmar, grande líder, quatro mandatos como prefeito de Quirinópolis… O Paulo [Cezar Martins] que é deputado, cinco mandatos, grande líder da região. Conseguimos de fato, fazer uma união para fazer um grande encontro das oposições que vai contar com vereadores que não são ligados a nenhum dos lados. Vai ser não só um encontro suprapartidário com várias frentes que não só contará com líderes de Quirinópolis mas de toda a região”, destacou.

Gustavo Mendanha quer festa de filiação à novo partido em fevereiro

Sem cravar candidatura ao Governo de Goiás, Gustavo Mendanha quer definir sua nova casa logo. Em janeiro espera ter definido a legenda para que, em fevereiro, possa ser feita uma “grande festa de filiação”. No seu radar, vários partidos já fizeram convite. O presidente do PL, Flávio Canedo, em entrevista ao Diário de Goiás, chegou a brincar dizendo que se ajoelha para que o prefeito de Aparecida vá para o seu partido, mesmo com o clã bolsonarista migrando para o PL.

Seja como for, Gustavo Mendanha diz ter tempo para tomar a decisão. “Eu tenho vários convites e estou analisando isso. Eu tenho tempo para tomar essa decisão. Eu tenho o PL, o Podemos, o PTC, o PROS, são várias siglas e algumas não vou citar porque algumas os presidentes serão prejudicados. Mas eu tenho tempo para tomar a decisão. Espero até em janeiro ter a decisão tomada e em fevereiro fazer uma grande festa de filiação ao partido que estarei me filiando”, pontua.

No PL, um dos partidos que já declararam apoio “incondicional” ao governo, Mendanha pode esbarrar em um já possível nome antagônico: o deputado federal Major Vitor Hugo parece mostrar-se incomodado em caminhar ao lado do prefeito de Aparecida, como adiantou em entrevista recente ao Diário de Goiás. Mendanha não parece se incomodar com a opinião de um dos aliados mais importantes de Jair Bolsonaro.

“Eu tive 96% dos votos válidos da cidade, uma marca histórica. Eu acredito que seja uma das maiores votações que um prefeito teve, não apenas em Goiás mas no Brasil. Obviamente, você tem pessoas de várias correntes ideológicas, políticas e religiosas. Pessoas que não tem nenhuma religião. É uma votação que uniu a cidade e acho que a gente tem neste momento de buscar a união. Pessoas que tem o mesmo desejo para o estado. Acredito que neste primeiro momento, teremos várias candidaturas que vão representar muito as bandeiras que os partidos acreditam e eu vou defender aquilo que eu acredito. Um novo momento para o estado de Goiás. Tenho conversado com muitos líderes para iniciar essa construção. No final de um processo bastante democrático, com muito diálogo e com conversa, apresentar uma chapa proporcional, majoritária para buscar a vitória e mais do que ganhar eleição, fazer um governo com o povo”, avaliou Gustavo Mendanha.

Veja a entrevista na íntegra:


Leia mais sobre: Brasil / Destaque

Domingos Ketelbey

Jornalista e editor do Diário de Goiás. Escreve sobre tudo e também sobre mobilidade urbana, cultura e política. Apaixonado por jornalismo literário, cafés e conversas de botequim.