13 de julho de 2024
Sabatina • atualizado em 14/09/2022 às 19:08

Gustavo Mendanha explica como pretende criar 100 mil novas empresas em Goiás

Candidato a governador do Patriota ressaltou importância da segurança jurídica e do diálogo com o setor empresarial
Gustavo Mendanha durante sabatina na Fieg (Foto; Divulgação)
Gustavo Mendanha durante sabatina na Fieg (Foto; Divulgação)

O candidato a governador Gustavo Mendanha (Patriota) afirmou, nesta quarta-feira (14/9), durante sabatina na Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), que, se for eleito, pretende criar 100 mil novas empresas no estado.

“Nós temos uma meta para Goiás, que é a atração de 100 mil novas empresas. Não estou falando só de grandes empresas. Estou falando de MEI [microempreendedor individual], pequenas, médias e grandes indústrias. Para a gente poder trabalhar o melhor programa social que existe, que é emprego e renda”, disse.

“Claro que as pessoas que passam dificuldade o governo tem que assistir, principalmente as que estão desempregadas. Mas nós precisamos trabalhar um planejamento a médio e longo prazo, e o que nós faremos é trazer desenvolvimento para o nosso estado”, acrescentou o governadoriável.

De acordo com Mendanha, quando ele assumiu a Prefeitura de Aparecida de Goiânia, havia 35 mil empresas na cidade e, quando deixou o cargo, o número já tinha ultrapassado a marca de 70 mil. “Nos meus cinco anos e três meses de governo, nós praticamente dobramos.”

Questionado sobre como pretende atingir a meta de 100 mil novas empresas em Goiás, o candidato ao Palácio das Esmeraldas ressaltou a importância da segurança jurídica e do diálogo com o setor empresarial. “Não podemos permitir que o empresário goiano não se sinta seguro, não se sinta cuidado, principalmente pela falta de diálogo.”

“A gente só terá isso a partir do diálogo. Diálogo para entender os problemas para buscar soluções viáveis, com responsabilidade e obedecendo à Constituição. Para que o empresário goiano possa não só estar aqui, mas ampliar sua produção”, declarou Mendanha.

“Queremos que o empresário possa fazer investimentos, gerar oportunidades de trabalho e pagar tributos, que ajudam o estado a fazer novas obras. Acho que isso nós temos condição de fazer. Vamos buscar facilitar a vida do empresário, com uma agenda permanente de desburocratização”, finalizou.


Leia mais sobre: / / / Política