06 de dezembro de 2023
Ipec • atualizado em 07/09/2023 às 12:05

Em meio a mini-reforma ministerial, governo Lula é considerado positivo por 40% da população

56% aprovam a maneira de governar do atual presidente
Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante o Pronunciamento à Nação neste feriado de 7 de setembro. (Foto: Ricardo Stuckert/PR)
Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante o Pronunciamento à Nação neste feriado de 7 de setembro. (Foto: Ricardo Stuckert/PR)

A nova pesquisa Ipec divulgada nesta quarta-feira (6), em meio a mini-reforma ministerial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mostrou que 40% dos brasileiros classificam o atual governo do petista como positivo: 15% ótima e 25% boa. Os que consideram regular são 32%, enquanto os que avaliam como ruim ou péssimo somam 25% (18% ruim e 3% péssimo). O levantamento, feito entre os dias 1º e 5 de setembro, tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Outro recorte da pesquisa Ipec sobre o governo Lula, foi se o entrevistado aprova ou desaprova a maneira como o presidente está governando o Brasil. 56% responderam que aprovam, 39% desaprovam, 6% não sabem/não responderam. Houve também a pergunta sobre confiar ou não confiar no petista e 50% disseram que confiam, 47% não confiam e 4% não sabem/não responderam.

Leia Também

Sobre a tal mini-reforma ministerial, foi feita para incluir o centrão no governo, especificamente o PP e Republicanos na Esplanada dos Ministérios, manobra consolidada esta quarta-feira (6). Lula criou o Ministério das Micro e Pequenas Empresas, demitiu a então chefe do Esporte, Ana Moser.

O presidente também colocou André Fufuca (PP) na vaga da ex-atleta e houve ainda o remanejamento do ministro Márcio França (PSB), que deixou os Portos e Aeroportos para acomodar Silvio Costa Filho (Republicanos) e foi para a nova pasta para fomentar políticas públicas ao pequeno e médio empreendedor, anunciada por Lula no fim de agosto.

Leia também: Provas contra Lula são anuladas e Toffoli diz que foi “um dos maiores erros judiciários”


Leia mais sobre: Política

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.