25 de junho de 2024
Política • atualizado em 09/06/2024 às 12:38

“Governo Federal não tem capacidade nenhuma de atuar nos estados”, afirma Caiado em fórum nacional

Segundo Caiado, o Governo Federal deve ser parceiro dos Estados para poder implantar uma inteligência compartilhada com os governadores

Durante debate realizado pelo Fórum Esfera Nacional – Conexões para Discutir o Brasil, neste sábado (8), em Guarujá (São Paulo), o governador Ronaldo Caiado (UB) voltou a defender uma maior independência dos Estados para ser possível entender que cada um tem as suas características provenientes de cada região. “O Governo Federal não tem capacidade nenhuma de atuar nos Estados”, iniciou.

Segundo Caiado, o Governo Federal deve ser parceiro dos Estados para poder implantar uma inteligência compartilhada com os governadores. “O problema é que o Governo Federal acha que tem um problema em cada lugar. Eu tô cansado de teoria. A prática é ir lá no Estado de Goiás e estar ali”, afirmou. Vale lembrar que Caiado também defendeu a autonomia durante o Lide Brazil Investment Forum, em Nova York, nos Estados Unidos, realizado em maio.

Por fim, Caiado reforçou a necessidade nacional de segurança pública. “Vou mostrar para todo mundo. Vocês vão andar à noite em Goiânia, ou em qualquer lugar do Estado e vocês vão ver se vocês vão ser admoestados. Eu dou direito à minha polícia trabalhar”, enfatizou. O recorte das falas de Caiado foi compartilhado em suas redes sociais. Confira:

Com o tema “Da teoria à prática: soluções em segurança pública”, o Fórum também teve a participação de Mário Sarrubbo, secretário nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça; Cláudio Castro, governador do Rio de Janeiro (RJ); Preto Zezé, presidente global da Central Única das Favelas (CUFA) e Pierpaolo Bottini, criminalista e professor de Direito Penal da Universidade de São Paulo (USP).

O ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, também acompanhou o evento, que foi mediado pelo jornalista William Waack. Uma das principais pautas dos participantes foi a necessidade nacional de combate aos grupos e facções criminosas e o tráfico de drogas. Em meio às discussões, Caiado ressaltou que é preciso coragem para tomar medidas duras, como, por exemplo, o isolamento de líderes dentro dos presídios e a proibição de visitas íntimas.


Leia mais sobre: / / / Notícias do Estado / Política

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019