13 de julho de 2024
Cidades

Governo federal define consorcio para tocar projeto do “expresso pequi”

Análises de conjuntura econômica apontam que o Eixo Brasília-Goiânia só perderá, dentro de poucos anos, para o do Rio-São Paulo

O projeto apelidado em Goiás de “ Trem Pequi” muito falando quando Juquinha das neves era presidente da valec ( empresa federal que constrói ferrovias) e no inicio do terceiro governo de Marconi Perillo, pode realmente sair do papel com a ajuda direta do governo federal.

O trem seria construído ligando as cidades de Goiânia a Brasilia, mas a obra de construção ainda deve demorar. Essa semana O governo federal confirmou a contratação de um consórcio formado por quatro empresas para elaboração do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Socioambiental (EVTEA), que vai nortear a instalação da ligação ferroviária.

Esse trabalho, que tem prazo de 15 meses para ser executado, que vai avaliar aspectos econômicos, de demanda e possíveis impactos ambientais e sociais na região a ser cortada pelos trilhos. Análises de conjuntura econômica apontam que o Eixo Brasília-Goiânia só perderá, dentro de poucos anos, para o do Rio-São Paulo

A síntese do contrato, no valor de R$ 3,2 milhões, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Ao todo, 41 grupos de vários países (América, Europa e Ásia) concorreram no processo, cujo edital foi lançado no ano passado.

“O projeto está saindo do papel. Não tem como voltar atrás. A criação dessa ferrovia é determinante para o desenvolvimento de toda a região, por isso há todo esse empenho entre órgãos da União e os governos do Distrito Federal e de Goiás. Temos de continuar seguindo nesse sentido”, disse o presidente da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), Marcelo Dourado, que coordena o grupo técnico à frente do projeto.


Leia mais sobre: Cidades