25 de junho de 2024
Brasil

Governo federal aprova mais de 300 planos de trabalho para reconstrução de municípios no RS

Ao todo, 4767 municípios e 2,34 milhões de pessoas foram afetados pelo temporal que atingiu o Estado
Chuvas no Rio Grande do Sul. Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini
Chuvas no Rio Grande do Sul. Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

O governo federal aprovou, até essa terça-feira (21), 318 planos de trabalho dos municípios para reconstrução das localidades afetadas pelas chuvas no Rio Grande do Sul. Ao todo, R$ 233 milhões são repassados pela União para as ações de Defesa Civil.

Os números foram confirmados pelo ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, em entrevista coletiva sobre as últimas ações do governo para ajuda ao estado. “Tudo que o município necessitar, o governo do presidente Lula — sob a liderança do ministro Pimenta — irá apoiar”, frisou.

“Quantos milhões [de reais] foram necessários para ajudar a limpar, destinar o entulho, restabelecer a vida das pessoas, identificar o que precisa reconstruir; e para ser feito um bom plano de trabalho por parte da prefeitura, do governo do estado e até para as demandas da gente [governo federal]”, acrescentou Góes.

De acordo com a Agência Brasil, o ministro também orientou as prefeituras gaúchas a não aguardarem a água baixar totalmente para o município enviar ao ministério o plano de limpeza, pois a ação pode ser fracionada, começando por bairros já secos.

“Um bairro que já está em condições de limpar, [a prefeitura] pode fazer o plano de trabalho e o governo federal banca a limpeza. Não esperem a cidade toda ficar seca para fazer um plano de trabalho único. Não é recomendável.”

De acordo com Góes, quanto mais rápido for a limpeza da cidade, “fazendo o bota-fora, levando para o lugar devido o entulho que se perdeu”, melhores serão os planos de trabalho de retenção de águas das áreas afetadas.

O ministro informou, ainda, que a pasta está convocando especialistas em planos de reconstrução de cidades e restabelecimento de serviços, treinados pela Secretaria de Defesa Civil Nacional, para reforçar a equipe que tem lidado com as prefeituras gaúchas.

“Há muitos cálculos de engenharia necessários, entramos em outro nível de informação. Por isso, quanto mais próximos nós tivermos dos prefeitos para elaboração de planos de trabalho bem estruturados, mais rápido a gente pode aprová-los sumariamente, evitando diligências ou que estejam fora da realidade”, o que evitaria a reprovação do plano ou atrasos na análise, afirmou Waldez.

Balanço

De acordo com boletim atualizado pela Defesa Civil do Rio Grande do Sul, às 18h de ontem, o número de municípios afetados chegava a 467. São 71,5 mil pessoas em abrigos, 581,6 mil desalojados e 2,34 milhões de pessoas afetadas. As consequências dos eventos climáticos extremos deixaram 161 mortos. Há 806 feridos e 85 desaparecidos. O número de pessoas resgatadas supera 82,6 mil, e o número de animais resgatados é de 12,3 mil.


Leia mais sobre: / / / Brasil