16 de abril de 2024
Decisão polêmica

Governo de Javier Milei proíbe linguagem neutra em toda a administração pública da Argentina

Nos documentos produzidos não poderão ser inclusos os sinais de arroba, “x” ou “e” no final de palavras de gênero masculino ou feminino
(Foto: Carlos Nathan Sampaio)
(Foto: Carlos Nathan Sampaio)

Desde esta terça-feira (27), o presidente Javier Milei decidiu, em anúncio feito pelo porta-voz da Presidência argentina, Manuel Adorni, proibir a linguagem neutra e inclusiva em toda a administração pública nacional. Ou seja, nos documentos produzidos não poderão ser inclusos os sinais de arroba, “x” ou “e” no lugar de outras letras que determinavam o gênero masculino ou feminino.

“Iremos iniciar ações para proibir a linguagem inclusiva e tudo o que for referente à perspectiva de gênero na administração pública nacional […] A linguagem que abrange todos os setores é o castelhano, a língua espanhola”, disse Adorni em seu anúnico.

Questionado sobre as pessoas que se sentem representadas pela linguagem inclusiva ou neutra e trabalham no governo, o porta-voz ainda afirmou que o governo não entrará na discussão.

Além da decisão, vale lembrar que, recentemente, os representantes do ministério da Defesa da Argentina já haviam publicado uma resolução que determinava o uso do idioma espanhol sob a normativa da Real Academia Espanhola (RAE) e manuais das próprias forças de segurança, também proibindo a linguagem inclusiva.

Na justificativa deste caso mais recente, o governo, por meio do ministério, afirmou que a comunicação militar “precisa ser breve, clara e concisa” para não gerar “confusão”.


Leia mais sobre: / / / Mundo

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.