28 de fevereiro de 2024
Negociações • atualizado em 30/11/2023 às 16:25

Governo de Goiás tenta investimentos para rodovias federais que cortam o Estado

O vice-governador se reuniu com diretores da empresa EcoRodovias para tratar de investimentos nas rodovias federais que cortam o Estado, pontos importantes para o escoamento da produção agrícola
Daniel Vilela se reuniu com diretores da EcoRodovias, em Goiânia. Foto: Jota Eurípedes
Daniel Vilela se reuniu com diretores da EcoRodovias, em Goiânia. Foto: Jota Eurípedes

O Governo de Goiás tenta acordo junto à iniciativa privada para investimentos em rodovias federais que cortam o Estado. Na última quarta-feira (29), o vice-governador Daniel Vilela se reuniu com diretores da empresa EcoRodovias, que administra três lotes de rodovias federais em Goiás, para tratar de negociações.

A EcoRodovias detém a concessão de 11 lotes de rodovias federais no país, o que totaliza uma malha viária de 4,7 mil km. Na reunião, Daniel Vilela destacou necessidade de prioridade de investimentos da empresa nas estradas que cortam Goiás. “Precisamos de parceiros sólidos, que enfrentem os desafios em infraestrutura e que contribuam para o desenvolvimento do nosso Estado”, pontuou o vice-governador.

Vilela ressaltou a importância da qualidade das rodovias para a economia de Goiás. Grande parte do escoamento da produção agrícola necessita da logística rodoviária. “Nosso Estado, referência no agronegócio, demanda corredores logísticos bem estruturados. Temos que garantir o bom escoamento da produção agrícola e, além disso, a segurança e o conforto dos motoristas que trafegam por estas rodovias federais sob responsabilidade das concessionárias”, destacou Daniel.

Investimento obrigatório das concessionárias

Os investimentos da concessionária são, via de regra, previstos em contrato com o governo federal. Embora não haja atrasos nos cronogramas apresentados nesta reunião, o vice-governador pediu que a empresa, se possível, acelere o ritmo a fim de que os benefícios sejam entregues o quanto antes aos goianos. “Confio no trabalho de vocês. Inclusive os elogiei ao ministro dos Transportes, Renan Filho”, confidenciou Daniel Vilela.

Durante o encontro, o vice-governador também teve acesso às planilhas com as obras que estão em construção em Goiás, incluindo valores aplicados, estágio atual da execução e prazo para entrega. Tudo devidamente detalhado pelos diretores da EcoRodovias, Alberto Lodi, Matheus Fernandes e Carlos Xisto.

Rodovias federais que cortam Goiás

No estado, a EcoRodovias administra três trechos de rodovias federais. O lote que compreende as BRs 050 e 436 sai de São Paulo, passa por Minas Gerais e vai de Catalão à Cristalina e tem duas obras de destaque. Os perímetros urbanos destas duas últimas cidades goianas estão sendo duplicados, com previsão de conclusão em abril do ano que vem, no caso de Cristalina; e agosto de 2025, no caso de Catalão.

A rodovia denominada Ecovias do Cerrado, com 437 quilômetros de extensão e que conecta Jataí, no sudoeste goiano, a Uberlândia (MG), tem obras no conhecido “Trevão”, onde há o entroncamento daquela via com a BR-153. Nesta estrada também estão sendo construídos 38 quilômetros de acostamento, 7 de vias marginais e passarelas para pedestres.

Já para a chamada Ecovias do Araguaia, que tem 851 quilômetros ligando Anápolis à Aliança do Tocantins (TO). Daniel Vilela cobrou atenção redobrada à duplicação da pista, vista por motoristas como de alta periculosidade. A empresa garante duplicar 357 km dentro do prazo de dez anos.


Leia mais sobre: / / Notícias do Estado

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.