15 de agosto de 2022
Imunização

Governo de Goiás lança Campanha de Multivacinação nesta segunda-feira (08)

Objetivo é alertar a população sobre a importância e os benefícios de vacinar crianças e adolescentes menores de 15 anos
Flyer da campanha que será lançada no Estado para conscientizar pais e responsáveis da importância de vacinar crianças e adolescentes (Foto: Divulgação)
Flyer da campanha que será lançada no Estado para conscientizar pais e responsáveis da importância de vacinar crianças e adolescentes (Foto: Divulgação)

Com o objetivo de alertar a população sobre a importância e os benefícios da vacinação em crianças e adolescentes menores de 15 anos, o Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), e em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia, abre oficialmente nesta segunda-feira (08/08), às 8h, a Campanha de Multivacinação, no Centro de Saúde da Família do Bairro São Carlos. As vacinas, ofertadas gratuitamente nas unidades de saúde de todos os municípios do Estado, protegem contra doenças imunopreveníveis como sarampo, tétano, tuberculose, coqueluche, difteria, meningites e hepatites, dentre outras.

A meta da ação é atualizar o cartão vacinal, uma vez que dados da SES mostram que nos últimos anos as coberturas vacinais de todas as vacinas estão bem abaixo de 95%, meta preconizada pelo Ministério da Saúde (MS) para garantir a proteção coletiva de toda a população infantil. Em média, neste ano no Estado a cobertura vacinal está pouco acima dos 50%.

O Governo de Goiás prepara também uma campanha publicitária de cunho educativo para alertar os pais e responsáveis sobre a importância da imunização. A campanha, que está sendo preparada para a semana do Dia D (20/08), tem o mote “Xô Dodói” e visa divulgar que é possível prevenir várias doenças graves e manter as crianças protegidas.

Continua após a publicidade

LEIA TAMBÉM: Dois novos sintomas são associados à varíola dos macacos e cientistas fazem alerta; entenda (diariodegoias.com.br)

Vacinas seguras e eficazes


Todas as vacinas incluídas no Calendário Nacional de Vacinação da Criança e do Adolescente, foram estudadas, avaliadas e validadas há mais de 30 anos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). São extremamente seguras e com efeito de debelar o risco de adoecimento de crianças e adolescentes.

Autoridades sanitárias reiteram que vacinas salvam vidas e que a vacinação é uma das intervenções de saúde pública consideradas mais eficazes. Pesquisas desenvolvidas pelo MS revelam que o uso de vacinas e o avanço nas coberturas vacinais ao longo das últimas décadas levaram à diminuição da incidência das doenças imunopreviníveis.

Continua após a publicidade

Sarampo e Difteria


Dois anos depois da concessão do Certificado de País Livre do Sarampo, com a reintrodução do vírus dessa doença no Brasil e a circulação da mesma cadeia de transmissão por mais de 12 meses consecutivos, o País perdeu essa certificação.

Em 2019 foram registrados 5 casos de sarampo em Goiás, o que restabeleceu uma cadeia de transmissão da doença após 20 anos sem circulação do vírus. Esse surto se estendeu de agosto de 2019 a março de 2020, quando foram registrados 20 casos da doença nos municípios de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, Posse e Rialma. Em 2021 e 2022, todos os casos suspeitos de sarampo notificados em Goiás foram descartados.

A difteria, que havia sido controlada, deixando de ser uma preocupação dos gestores de saúde, voltou a apresentar casos isolados. O último caso da doença havia sido notificado em 1998. Neste ano foi registrado 1 caso da enfermidade em Santa Helena de Goiás.

NÃO DEIXE DE LER: Aparecida instala Central para monitorar Monkeypox (diariodegoias.com.br)

Além de proteger as crianças com a vacinação de todas as doenças imunopreviníveis, os especialistas alertam sobre a manutenção de alguns cuidados. Recomenda-se a adoção de cuidados de higiene e limpeza, lavar as mãos frequentemente com água e sabão, não tocar os olhos, nariz ou boca sem antes lavar as mãos, cobrir a boca e o nariz com um lenço de papel ou manga da blusa quando tossir ou espirrar, e evitar contato próximo ou compartilhar utensílios de mesa ou xícaras com pessoas que apresentam sintomas das enfermidades.