13 de julho de 2024
Meio ambiente • atualizado em 03/03/2023 às 15:37

Governo de Goiás cria plano de ação para recuperar o Parque dos Pirineus

Para lidar com o vandalismo a ideia é de instalar câmeras no Parque e de mobilizar segurança 24 horas por dia
Governo de Goiás cria plano de ação para recuperar o Parque dos Pirineus. (Foto: Semad)
Governo de Goiás cria plano de ação para recuperar o Parque dos Pirineus. (Foto: Semad)

A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Estado de Goiás (Semad), criou um plano de ação para recuperar o Parque dos Pirineus, unidade de conservação que alcança os municípios de Pirenópolis, Corumbá e Cocalzinho de Goiás.

Em razão de recentes ações de vandalismo e do comprometimento parcial de estradas de terra da região, decorrente das chuvas, a secretária de Meio Ambiente, Andréa Vulcanis, visita o Parque neste sábado (04/03).

As estradas serão recuperadas em parceria com as prefeituras de Pirenópolis e Cocalzinho, tão logo se inicie o período de estiagem. Para lidar com o vandalismo, está sendo providenciando cancelas novas e adquirindo um sistema de comunicação via rádio, cujo investimento é de R$ 281 mil. De acordo com Andréa Vulcanis, a ideia é de instalar câmeras no parque e de mobilizar segurança 24 horas por dia.

O governo já aportou R$ 422 mil por ano na manutenção de dois postos de vigilância patrimonial, R$ 30 mil por ano em um posto de limpeza e R$ 32 mil por ano em um posto de auxílio administrativo.

Incêndios florestais

Desde 2021, a Secretaria de Meio Ambiente destina recursos para contratação de uma brigada de prevenção e combate a incêndios florestais no Parque Estadual dos Pirineus. Naquele ano, foram investidos R$ 505 mil. No ano passado, R$ 476 mil.

Para 2023, existe um processo licitatório, que está em fase de instrução, para contratar o serviço. Além dessa contratação, são realizados aceiros, manutenção de estradas em parceria com as prefeituras, orientação dos proprietários rurais do entorno, e cursos de capacitação em combate aos incêndios florestais com a comunidade.

Outra etapa importante está sendo concluída: a elaboração dos planos de manejo e de uso público. Em resumo, são esses dois planos, elaborados por consultorias especializadas, que vão dizer como deve ser a visitação de turistas, qual é a infraestrutura necessária para administração do parque, qual é a melhor forma de preservar a fauna e a flora, entre outros aspectos.

O plano de manejo custou R$ 359 mil, está pronto e vai passar por consulta pública. O plano de uso público, ao custo de R$ 173 mil, está em fase final de contratação.

Em paralelo, o Governo de Goiás avança na regularização fundiária do PEP. Por meio de um acordo extrajudicial que pôs fim a uma litígio que se arrastava na Justiça havia mais de 20 anos, em março de 2022 a Semad adquiriu uma área de 563 hectares sob pagamento de indenização ao custo de R$ 8,03 milhões. Este imóvel é onde se encontra o Morro do Cabeludo, importante atrativo turístico do parque.


Leia mais sobre: / / / Cidades

Leonardo Calazenço

Jornalista - repórter de cidades, política, economia e o que mais vier! Apaixonado por comunicação e por levar a notícia de forma clara, objetiva e transparente.