27 de fevereiro de 2024
Infraestrutura

Goiás tem duas das melhores rodovias do Brasil, uma de gestão pública e outra concedida; confira

Pesquisa da CNT divulgou pesquisa em que 67,5% das rodovias brasileiras são classificada como regulares, ruins ou péssimas
Trecho da rodovia BR-080, em Goiás. (Foto: Ministério da Infraestrutura)
Trecho da rodovia BR-080, em Goiás. (Foto: Ministério da Infraestrutura)

Uma pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes (CNT) indicou que duas das dez melhores rodovias do Brasil estão em Goiás. São elas a BR-080, que começa em Vila Propício e termina em Padre Bernardo, e de gestão pública, e a BR-364 que começa em Jataí e termina em São Simão, de gestão concedida. Estas estão em 7º e 8º da lista.

As demais melhores rodovias do Brasil avaliadas pela CNT são, respectivamente: RJ-124, entre Rio Bonito e São Pedro da Aldeia (Concedida); SP-270, entre Presidente Epitácio e Ourinhos (Concedida); SP-225, entre Itirapina e Santa Cruz do Rio Pardo (Concedida); BR-153, entre Aliança do Tocantins e Talismã (Concedida); SP-463, entre Ouroeste e Clementina (Pública); SP-320, entre Rubinéia e Mirassol (Pública); SP-191, entre Mogi Mirim e São Pedro (Concedida); e a BR-493, entre Itaboraí e Itaguaí (Concedida).

Apesar disso, a CNT também mostrou que 67,5% das rodovias brasileiras têm sua extensão classificada como regular, ruim ou péssima, enquanto apenas 32,5% foi classificada como ótima ou boa. “Os percentuais demonstram uma relativa estabilidade no estado geral da malha rodoviária brasileira, em comparação com os resultados do ano passado, que apresentavam, respectivamente, 66% e 34% para os mesmos níveis de classificação”, avaliou a entidade.

A lista das dez piores rodovias no Brasil, inclusive não incluem nenhuma de Goiás. Veja a lista abaixo:

RodoviaUFMunicípio inicialMunicípio finalGestão
AM-010AMManausItacoatiaraPública
PB-400PBCajazeirasConceiçãoPública
BR-364ACCruzeiro do SulAcrelândiaPública
PE-096PEPalmaresBarreirosPública
MA-106MAGovernador Nunes FreireAlcântaraPública
PE-126PEPalmaresQuipapáPública
AC-010ACPorto AcreRio BrancoPública
AP-010APMacapáMazagãoPública
PA-263PAGoianésia Do ParáTucuruíPública
BR-174AMPresidente FigueiredoBorbaPública
Fonte: CNT

Vale lembrar que a classificação do estado geral compreende três características da malha rodoviária: pavimento, sinalização e geometria da via. Levam-se em conta variáveis como condições do pavimento, das placas, do acostamento, de curvas e de pontes.

Em 2023, 56,8% do pavimento, 63,4% da sinalização e 66% da geometria dessas vias foram avaliados como regular, ruim e péssima, percentuais que também ficaram próximos aos registrados no ano passado: 55,5%, 60,7%, 63,9%, respectivamente.

O estudo mostra, ainda, que as rodovias públicas, que representam 76,6% da extensão pesquisada este ano, apresentam percentuais maiores de avaliações negativas (77,1%). Já entre as rodovias concessionadas, que representam 23,4% da extensão pesquisada em 2023, 64,1% da extensão da malha foram classificadas como boa e ótima.

Os números fazem parte da 26ª edição da Pesquisa CNT de Rodovias, divulgada nesta quarta-feira (29), em parceria com o Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte. O levantamento deste ano avaliou 111.502 quilômetros de rodovias pavimentadas, o que corresponde a 67.659 quilômetros da malha federal e a 43.843 quilômetros dos principais trechos estaduais.


Leia mais sobre: Brasil

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.