13 de julho de 2024
Tempo

Goiás registra mais de três milhões de raios nos primeiros três meses do ano; entenda riscos

Niquelândia e Mineiros foram os municípios com mais incidência, mais de 100 mil descargas cada um
Uma das dicas durante tempestades com raios é o de evitar uso do celular, chuveiro, secador de cabelo e ferro elétrico conectados à tomada. (Foto: reprodução)
Uma das dicas durante tempestades com raios é o de evitar uso do celular, chuveiro, secador de cabelo e ferro elétrico conectados à tomada. (Foto: reprodução)

Apenas nos três primeiros meses de 2024, Goiás foi atingido por mais de 3 milhões de raios, conforme registros do sistema de monitoramento da Equatorial Goiás. Esse volume representa uma média de 35 mil descargas atmosféricas por dia. A análise é realizada em colaboração com o Climatempo e os técnicos do Centro de Operações Integradas (COI) da distribuidora, que monitoram em tempo real, 24 horas por dia, as condições climáticas em todo o Estado.

O grande volume de raios foi registrado em várias cidades, mas algumas se destacam com a maior incidência. O levantamento mais recente feito pela concessionária de energia mostra que, de janeiro a março de 2024, os municípios com o maior número de descargas foram: Niquelândia (110.187), Mineiros (103.932), Rio Verde (93.735), Jataí (84.737), Serranópolis (79.898), Cavalcante (69.620), Nova Crixás (62.600) e Quirinópolis (55.179). 

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) adverte sobre a alta incidência de raios no Brasil, devido ao seu clima tropical. Regiões como Goiás, devido ao seu calor, são propensas a tempestades e descargas elétricas. Os pesquisadores observam que o aquecimento global tem contribuído para temperaturas extremas e tempestades mais intensas, aumentando o número de raios. Portanto, é crucial estar preparado para os perigos associados a esses eventos naturais.

As chuvas intensas e o aumento na frequência de raios causam danos significativos à rede elétrica, sendo responsáveis por cerca de 20% das interrupções no fornecimento de energia. Isso resulta em curtos-circuitos, danos a equipamentos e até acidentes fatais. De acordo com Vinicyus Lima, gerente do Centro de Operações Integradas da Equatorial Goiás, durante tempestades, a queda de árvores e outros objetos sobre a rede elétrica tem um impacto considerável, exigindo a substituição de postes, cabos e transformadores, além da remoção de vegetação.

A concessionária atua constantemente antes, durante e após tempestades, priorizando a reconstrução da rede elétrica. A Equatorial investiu mais de R$ 2 bilhões em mais de um ano de operação em Goiás, intensificando as manutenções na rede, especialmente em áreas rurais. A empresa monitora as descargas atmosféricas para facilitar a mobilização das equipes de campo e reduzir o tempo de resposta em casos de interrupção no fornecimento de energia.

Além das precauções conhecidas, como evitar o uso de equipamentos elétricos durante tempestades e buscar abrigo em locais seguros, a Equatorial Goiás destaca a importância de seguir suas orientações de segurança. Confira abaixo.

Cuidados dentro de casa

  • Evite o uso do celular, chuveiro, secador de cabelo e ferro elétrico conectados à tomada; 
  • Evite consertos de instalações elétricas; 

Cuidados fora de casa

  • Não encoste em objetos metálicos como postes, cercas de arame, tubos metálicos e principalmente linhas telefônicas ou elétricas; 
  • Não toque em aparelhos elétricos com as mãos ou pés úmidos; 
  • Não tente carregar aparelhos móveis, como celulares, em locais úmidos; 
  • Nunca tente desligar ou religar energia da rede elétrica por conta própria; 
  • Evite estar em locais como campos abertos, piscinas, lagos, praias, árvores isoladas, postes e locais elevados.

Leia mais sobre: / / / Cidades

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.