10 de agosto de 2022
Notícias do Estado • atualizado em 28/01/2021 às 18:57

Goiás fecha 2020 com abertura de 26 mil empregos, diz Caged

Goiás foi o sexto estado em geração de empregos no país. (Foto: Marcelo Camargo/EBC)
Goiás foi o sexto estado em geração de empregos no país. (Foto: Marcelo Camargo/EBC)

Goiás encerrou o ano de 2020 com saldo positivo de 26.258 empregos, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (28) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O resultado positivo vem apesar do fechamento de 866 postos de trabalho em dezembro.

O acumulado do ano em Goiás representou o quinto melhor resultado do país, atrás apenas de Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais e Pará. No ano passado, foram 526.965 admissões e 500.707 demissões. A variação é de 2,14%.

Continua após a publicidade

A indústria foi a maior geradora de empregos, com 10.296 postos de trabalho abertos no ano passado. Depois aparecem construção civil (6.252), comércio (5.377), agropecuária (2.932) e serviços (1.401).

Em 2019, Goiás havia sido o sétimo estado em geração de empregos, com 21.550 vagas criadas.

Agropecuária é referência

Continua após a publicidade

Apesar de no ranking dos setores que mais geraram postos de trabalho em Goiás a agropecuária aparecer em quarto lugar, o segmento no estado se destacou no comparativo nacional. Conforme dados do Caged, de janeiro a dezembro, foram abertos 2.932 empregos no setor agropecuário – atrás apenas de São Paulo.

“Esse setor garantiu a balança comercial, garantiu com que o Brasil também sobrevivesse a essa crise”, pontua o governador Ronaldo Caiado. O secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, acrescenta que o resultado de 2020 “é um número a ser comemorado”. “Mesmo com a pandemia e todos os seus efeitos, Goiás registrou saldo positivo e conseguiu criar novas vagas de trabalho, tendo o agro como um dos destaques”, avalia.

Os grandes destaques na criação de postos de trabalho no agro ficaram concentrados nas atividades de apoio à agricultura e pecuária (1.009 novos postos), incluindo atividades pós-colheita (489 novos postos) e serviços de preparação de terreno, cultivo e colheita (353 novos postos). Também foram destaque as vagas criadas na produção de lavouras temporárias: 943. Já na atividade pecuária, foram 480 novas oportunidades, sobretudo na criação de bovinos (210 novas vagas), aves (191 novas vagas) e suínos (76 novas vagas).

De acordo com os dados do Caged, os municípios goianos que mais criaram vagas de emprego no setor agropecuário foram Cristalina (600), Santa Helena de Goiás (183), Jataí (153), Leopoldo de Bulhões (122) e São Simão (121).

Levando-se em consideração o estoque de vagas (número total de empregados), o município que mais tem trabalhadores ligados ao setor agropecuário é Rio Verde, com 7.077 trabalhadores empregados formalmente no setor, seguido de Cristalina (5.768), Jataí (3.192), Goiânia (2.617) e Mineiros (2.011).