16 de abril de 2024
Atenção à saúde

Além da dengue, Goiás também está entre os estados com maior taxa de Covid-19

Casos de coronavírus quase triplicaram nos últimos dias se comparado ao mesmo período de 2023
Além de Goiás, Mato Grosso, Tocantins, Rondônia e Distrito Federal estão entre os estados com maior taxa de infecção pela doença. (Foto: reprodução)
Além de Goiás, Mato Grosso, Tocantins, Rondônia e Distrito Federal estão entre os estados com maior taxa de infecção pela doença. (Foto: reprodução)

Apesar da queda no número de casos de Covid-19 a nível nacional e global, se comparados com os picos da pandemia, as novas variantes do vírus continuam causando oscilações no sistema de saúde. Mesmo sendo menos agressivas, o coronavírus está mais contagioso e merece atenção. Goiás, inclusive, junto com Mato Grosso, Tocantins, Rondônia e Distrito Federal, está entre os estados com maiores taxas da doença com variação entre 55,5 e 166,9 casos a cada 100 mil habitantes.

Situação faz com que autotestes desapareçam das prateleiras de farmácias e hospitais registrando aumento na procura por atendimento médico, aliás, somado ao grande aumento de casos de dengue tanto em Goiás, quanto no Distrito Federal, por exemplo.

Em relação aos casos em sua totalidade, Goiás registrou, nos últimos dias, quase três vezes mais do que o mesmo período de 2023. De 19 de fevereiro a 25 de 2023, foram 2.710 casos no estado contra 7.826 neste ano, no mesmo período. As mortes, pelo menos, caíram, já que em 2023 neste período de uma semana foram 13 e, em 2024, 9. No Brasil, foram registrados 196.463 casos e 1.127 óbitos de Covid-19 neste ano.

O Ministério da Saúde afirma que, após festas como Carnaval, é comum ver o aumento de determinadas doenças virais. Além disso, em 2023 o carnaval foi uma semana mais tarde, o que pode mostrar o motivo para esse aumento não ter acontecido neste mesmo período se comparado a 2024, quando as festividades começaram antes.

Contra isso, a ordem é clara, o ministério recomenda a vacinação contra a Covid-19 a partir dos seis meses de vida e, mesmo que não seja mais lei, junto com órgãos de saúde e especialistas, há a indicação do uso da máscara facial contra a exposição e propagação do coronavírus, principalmente após estes aumentos nos casos.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, a recomendação é de que a população reforce a utilização das máscaras em ambientes de maior risco, como são os casos de hospitais e demais locais de atendimento à saúde. Em locais fechados, com muita gente e má circulação do ar também há indicação, pois representam risco: transportes públicos, aviões e sala com muitas pessoas.

Sobre a dengue, em Goiás, já foram 13 mortes registradas pela doença apenas em 2024, conforme informado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) no sábado (24). Além disso, há 68 mortes em investigação, sendo 24.612 casos confirmados da doença e 60.044 notificados. As mortes confirmadas foram em Anápolis, Uruaçu, Águas Lindas de Goiás, Luziânia, Goiânia, Iporá e Cristalina. A primeira morte de Goiânia foi confirmada pela Prefeitura na quarta-feira (21), sendo de uma mulher com idade acima de 60 anos.


Leia mais sobre: / / Notícias do Estado

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.