logomarcadiariodegoias2017

vacina h1n1 foto Marcelo Camargo Arquivo Agencia Brasil.jpg

A Vigilância Sanitária de Goiânia determinou às clínicas que fazem a comercialização de vacinas contra a Influenza A (H1N1) na capital não permitam que as pessoas deixem o estabelecimento portando a vacina para ser aplicada em outro horário e local.

Desde o início do surto de H1N1 em Goiânia, as pessoas têm procurado as clínicas que vendem as doses para imunização, uma vez que a Campanha Nacional de Vacinação na rede pública de saúde ainda não foi iniciada.

No entanto, com o risco de falta do medicamento alguns clientes estão tentando levar a vacina para ser aplicada em parentes, em casa.

Esse fato é proibido pela legislação e a Vigilância Sanitária expediu a recomendação de que a clínica pode até vender a vacina para ser aplicada em outo momento, desde que seja dentro do estabelecimento. Em nenhuma hipótese o cliente pode sair com a vacina em mãos e levar para casa.

É preciso lembrar também que a rede pública vacinará inicialmente apenas os grupos de risco, que são gestantes, crianças de seis meses a cinco anos, população indígena, população carcerária, profissionais da área da saúde e agentes prisionais, idosos e pessoas com doenças crônicas. 

Leia mais:

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

Reportagem Especial

TVDG

Goiás na Frente: Estado repassa R$ 12 milhões a 35 municípios
Goiás na Frente: Estado repassa R$ 12 milhões a 35 municípios
Goiás na Frente: Estado repassa R$ 12 milhões a 35 municípios

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

SEARCH