20 de maio de 2022
Para 2023

Goiânia terá parque de iluminação modernizado a partir do ano que vem

Com nota média entre 1 a 10 de 5,6 o serviço de iluminação da Prefeitura de Goiânia ficou em terceiro lugar no levantamento feito pela Grupom/DG atrás apenas da limpeza de ruas e coleta de lixo
(Foto: Prefeitura de Goiânia)
(Foto: Prefeitura de Goiânia)

Bem avaliado pelos goianienses entrevistados na pesquisa Grupom, em parceria exclusiva com o Diário de Goiás, a iluminação pública irá receber novas intervenções a partir de 2023. A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinfra) promete, até 2025, renovar todo o parque de luzes da cidade, trocando o sistema de sódio existente hoje, por um modelo inteligente de LED. A Prefeitura de Goiânia já deu início aos editais de licitação e a previsão é que os serviços comecem a ser executados já no fim de 2022.

“Nós precisamos transformar as lâmpadas de sódio e suas luminárias em sistemas mais novos, todos com sistema de Led, com monitoramento eletrônico remoto, como é o caso que vários setores terão. Como também, sistemas inteligentes, no sentido de que em determinadas vias possa funcionar de forma alternada em determinados horários, ou presenciais também. Enfim, os equipamentos que hoje estão no mercado, proporcionam um nível de tecnologia muito maior do que esse parque nosso que já existe”, explica o secretário de Infraestrutura, Everton Schmaltz em entrevista ao Diário de Goiás

Com nota média entre 1 a 10 de 5,6 o serviço de iluminação da Prefeitura de Goiânia ficou em terceiro lugar no levantamento feito pela Grupom/DG atrás apenas da limpeza de ruas e coleta de lixo. Mesmo assim, há espaço para melhoras. “Esse tipo de avaliação é uma ferramenta tremendamente importante para a administração porque expõe com clareza a realidade do funcionamento dos sistemas de iluminação, dentre outros serviços também, né, que a gente verifica que são realizados”, destaca. 

Continua após a publicidade

Everton ainda pontua que há espaços para melhorar a nota média do levantamento ainda este ano. “Com o parque que hoje existe, que um parque um pouco mais antigo, e que todas as lâmpadas, por exemplo, praticamente todas, são em sódio, já de uma tecnologia um pouco mais atrasada para o que hoje se tem no mercado. Esse índice, nós já temos um planejamento já específico para esse semestre. Nesse planejamento existem metas e essas metas sempre devem apontar para índices em torno de 5 e 6.”

O processo de renovação deve durar dois a três anos para ser totalmente encerrado mas o contrato com a empresa que prestará os serviços deve ter cinco anos de validade. “É um contrato que deve durar em torno de cinco anos, que seria o tempo máximo, sendo que também inclui a manutenção. Não é só a implantação e a substituição da tecnologia, mas também contará com a manutenção de todo esse parque ao longo de todo o tempo de durabilidade de contrato”, destacou. 

O custo total para renovação de todo o serviço deve girar em torno de R$ 100 milhões, mas Everson destaca que os resultados vão desde uma cidade mais bonita até maior segurança nas vias públicas da capital. “Nos levantamentos iniciais o custo total fica em torno de 75 milhões. Agora, há de se colocar também a parte de manutenção, que é um grande interesse nosso, né. Porque caso contrário sobrecarregaria muito as equipes da Prefeitura que são mais equipes de manutenção e simplesmente de trocas de lâmpadas, daria um sobrecarga muito grande para a Prefeitura de absorver toda essa manutenção. Então, a gente deve fazer ou compartilhado ou ficar só na fiscalização de tais serviços. Deve acrescer talvez mais uns 15 a 20 milhões de reais a nível de 5 anos que é o que nós estamos propondo”, concluí.

Continua após a publicidade

Secretário de Infraestrutura, Everton Schmaltz destaca novo parque de iluminação em Goiânia

Iluminação pública: 31,9% avaliam serviço entre “bom e ótimo”

Na iluminação pública, a avaliação também é mediana e segue próxima ao que foi coletado com a limpeza das ruas. 39,4% avaliam o serviço entre “bom e ótimo” enquanto 27,3% avaliam como “regular”, 31,9% avaliam como “ruim e péssimo”.

Veja abaixo a evolução mediana de dezembro para cá:

Os entrevistados deram para o quesito iluminação pública a nota 5,6 de média, ocorrendo um cenário semelhante ao da limpeza de lixo. O serviço começou em dezembro bem avaliado e ao longo dos levantamentos houve uma queda na avaliação. Em dezembro na primeira etapa, o serviço recebeu 5,49 de nota mas subiu quinze dias depois para 5,92. 

Na primeira semana caiu para 5,63 e duas semanas depois para 5,55. Em fevereiro a avaliação era de 5,49 e na última rodada, despencou para 4,57 finalizando com a média de 5,6. Veja abaixo como ficaram todas as rodadas: 

 A avaliação do Prefeito a partir do serviço iluminação pública

O levantamento também refletiu a nota que o prefeito recebe, individualmente, a partir do serviço de iluminação pública. Dos entrevistados, o prefeito recebeu 7,31 de nota média final, “ótimo”. “Bom”, 5,88. “Regular”, 4,98. “Ruim”, 4,01. “Péssimo”, 3,04. 

A Grupom também mediu o serviço de forma demográfica. A região Centro/Sul teve 5,02 de mediana, enquanto a Leste, 5,00. A Oeste, 4,67 e bem distante esteve a região Noroeste, 3,73.

Veja a evolução por região em toda a pesquisa: