21 de maio de 2022
Cidades

“Goiânia será a capital brasileira das bicicletas”, diz Paulo Garcia

(Foto: François Calil)
(Foto: François Calil)

O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), afirmou em entrevista ao editor do Diário de Goiás, Altair Tavares, que a capital goiana também será a capital brasileira das bicicletas. Na inauguração das ciclofaixas entre os parques Areião e Vaca Brava, realizada na manhã de ontem (30), o prefeito ressaltou que a população clama por mais rotas cicláveis. 

Segundo Paulo Garcia, a cada dia aumenta o número de ciclistas em Goiânia. Ainda de acordo com ele, ao todo, o projeto das rotas cicláveis terá 140 quilômetros de extensão. 

Leia a entrevista na íntegra:

Continua após a publicidade

Altair: Como é que surgiu a ideia de fazer a ciclofaixa entre os dois parques que está sendo inaugurada hoje?

Paulo Garcia: Na verdade faz parte de um planejamento. Nós temos um plano de rotas cicláveis na cidade de Goiânia. Quando eu faço referência a 140 quilômetros, eu não faço de forma aleatória, houve um planejamento, o estudo de colaboração de uma organização não governamental, de cicloativistas, de urbanistas, da SMT e nós começamos a sua implantação gradativa. Primeiro, fizemos a ciclofaixa em torno dos dois parques, as pessoas se habituaram, as pessoas cobraram por extensão. Agora, demarcamos a união entre as duas e se você perceber, a própria comunidade, a própria sociedade, clama por mais rotas. A medida que isso for sendo introjetado no inconsciente coletivo é um passo irreversível. Goiânia se continuar assim, se tornará a capital brasileira das bicicletas. Você pode ver caminhando ou andando pela cidade que a cada dia aumentam os cicloativistas.

Você chama de ciclorrotas, o que seria isso?

Continua após a publicidade

Quando eu chamo de rotas cicláveis, em rotas cicláveis nós temos ciclovias, por exemplo, a do corredor universitário, já pronta, que deve se unir a ciclovia da Praça Cívica, que haverá também de se unir a ciclovia do corredor T-7. Isso é ciclovia, são aquelas permanentes, próprias para o ciclista. Nós temos as ciclofaixas, que são faixas como essa. E nós temos as ciclorrotas que são compartilhadas, com uma sinalização preferencial para os ciclistas, mas são compartilhadas com qualquer outro tipo de transporte. Então, quando eu faço referência a 140 quilômetros de rotas cicláveis, são ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas.

O investimento neste tipo de serviço aparentemente é baixo

O da ciclofaixa é, o da ciclorrota menor ainda. O que é mais caro é a ciclovia, porque tem um piso próprio, um trajeto exclusivo, uma sinalização diferenciada. Por isso, normalmente, ela está presente nos corredores, porque nós temos financiamento da União para a execução desses projetos.

Quando a prefeitura pretende fazer as novas ciclofaixas?

A cada 15 ou 30 dias vocês vão ter uma surpresa.

Essa é a agenda?

Essa é a agenda. Essa é a agenda que pegou, que a população está cobrando, é a agenda que está trazendo qualidade de vida, desenvolvimento sustentável e alegria para a nossa comunidade. Você pode ver que por onde passa, você vê sorriso no rosto das pessoas, por poderem aproveitar os seus momentos de lazer ou de promoção de saúde e esporte na atividade ciclística. Nós pretendemos com a ajuda de vocês, dos veículos de comunicação, levar 10 mil ciclistas, na inauguração da Praça Cívica no dia 24 de outubro. Nós vamos fazer uma grande promoção e vamos colocar lá 10 mil ciclistas.

Como será feita esta reunião?

Nós vamos fazer uma grande promoção através de um veículo de comunicação, e vamos chamar também todos os grupos de cicloativistas, que nós temos vários na cidade de Goiânia. Ontem, por exemplo, eu andei com os Bike Anjos. Hoje, eles estão aqui, está chegando o Pedal Goiano, ontem a tarde eu me encontrei com o Pedal Pequi, tem grupo todo dia, toda hora. Tem grupos dos mais variados possíveis, só aumentando.

 

Leia mais sobre:
Cidades