21 de junho de 2024
Política

Goiânia registra queda na mortalidade infantil

Na última sexta-feira, 2, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou uma pesquisa que mostra redução de 75,8% no índice de mortalidade infantil (de zero a um ano de idade) nas últimas três décadas no Brasil. Em 1980, o índice chegava a 69,1 óbitos para cada mil nascidos vivos e em 2013 esse número caiu para 16,7 óbitos. Também houve redução na mortalidade da infância (até cinco anos). Em 1980, eram 84 óbitos a cada mil nascidos vivos e hoje o número caiu para 19,1.

Segundo dados da Secretária Municipal de Saúde (SMS) e o Sistema de Informações sobre Mortalidade de Goiânia (SIM), o índice de mortalidade infantil se manteve estabilizado na capital nos últimos três anos. Em 2010, foram registrados 11,8 óbitos a cada mil nascidos vivos. No ano seguinte, permaneceu estável e, em 2012, foram registradas 12,6 mortes/1000 nascidos vivos.

Já o índice de mortalidade para infância apresentou uma queda significativa no mesmo período. Em 2010, foram registrados 45 óbitos, em 2011, 32 mortes e em 2012, o número foi reduzido para apenas 28.

Ações

A chefe da Divisão da Saúde da Mulher, Criança e Adolescente, Maria Luiza de Lima, destaca que a SMS desenvolve algumas ações de rotina com o objetivo de contribuir com a redução da mortalidade infantil. “Todas as crianças nascidas nas unidades de saúde da capital são acompanhadas durante seu crescimento e são avaliados peso, altura e estado nutricional. Durante esse período, crianças recebem vacinas de rotina e suplementação de ferro, se necessário.”

Nos casos mais graves, em que os recém-nascidos acabaram de sair da UTI, a criança é atendida no Ambulatório de Alto Risco e acompanhada por um pediatra até não apresentar mais risco de morte. Dentre as unidades que oferecem esse serviço estão o Centro de Saúde Negrão de Lima, Cais Campinas, Ciams Urias Magalhães, Cais Cândida de Moraes, Maternidades Nascer Cidadão e Dona Iris.

Projeto Nascer Cidadão é outro destaque. Objetivo é acompanhar o recém-nascido antes que ele deixe a maternidade. O bebê e mãe já saem da unidade com retorno agendado para realização de consultas com pediatra. Além disso, duas vezes ao ano, durante os meses de junho, julho, novembro e dezembro são realizadas campanhas de aleitamento materno e suplementação de vitamina A nas unidades de saúde.

As informações são da prefeitura de Goiânia.


Leia mais sobre: Política