20 de maio de 2024
Meio Ambiente • atualizado em 11/03/2024 às 14:55

Goiânia recebe título da ONU de “Cidade Árvore do Mundo” por sua arborização urbana

A cidade já é considerada a mais verde da América do Sul, e agora, faz parte do seleto grupo a qual estão também Paris, Milão, e New York
Goiânia possui mais de 205 áreas verdes, sendo boa parte com nascentes. Foto: Jackson Rodrigues
Goiânia possui mais de 205 áreas verdes, sendo boa parte com nascentes. Foto: Jackson Rodrigues

Goiânia é considerada uma das cidades mais arborizadas do mundo. O título que coloca a capital entre o seleto grupo de metrópoles com mais área verde por habitante no planeta foi concedido pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO-ONU) e a Fundação Arbor Day. Juntamente de cidades como Paris, Turin, Milão, Madri, Nova Iorque e Toronto, Goiânia agora é uma “Cidade Árvore do Mundo”, ou “Tree Cities Of the World” em inglês.

A capital de Goiás já era reconhecida como a capital mais verde da América do Sul, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O título foi atribuído graças ao trabalho com programas de manejo arbóreo, como o Disque-Árvore, Rearboriza e ArborizaGYN. A Prefeitura de Goiânia, por meio da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), intensificou a arborização da cidade nos últimos anos.

Ao todo, Goiânia possui mais de 205 áreas verdes, sendo boa parte com nascentes. Dados do IBGE de 2010 apontam que Goiânia possui 94 metros quadrados de área verde por habitante, sendo que o recomendado pelas Nações Unidas é de apenas 12 metros por habitante.

O título da ONU

Na defesa de Goiânia como “Tree Cities Of the World”, os números de plantio foram fundamentais. Foram plantadas nos últimos três anos mais de 380 mil mudas de árvores, o que representa aumento de 40% do estimado pelo Plano Diretor de Arborização Urbana.

No ano passado, o Disque-Árvore atingiu 8.623 mil mudas de árvores plantadas em calçadas de moradores, nos três anos do programa, demonstrando a adesão popular. A solicitação de plantio é realizada pelo WhatsApp (62) 9 9639-7495 pelo responsável do imóvel.

Reconhecimento

De acordo com o presidente da Amma, Luan Alves, o reconhecimento reflete o trabalho de técnicos do meio ambiente e da participação popular. “É um reconhecimento muito importante e a nível mundial. Um motivo de orgulho pelo trabalho técnico em pensar e implantar um novo modelo de arborização em Goiânia. A população contribui plantando na sua calçada, com ajuda da Amma e o Dique-Árvore, mudas apropriadas, e os biólogos e agrônomos se empenham para tornar Goiânia ainda mais sustentável e arborizada”, destaca o presidente.

Além de melhorar o clima da capital, com diminuição das temperaturas por conta das áreas verdes, os mais de 60 parques municipais com algum tipo de estrutura de lazer e contemplação, a arborização urbana e os corredores verdes entre um parque e outro, também contribuem para a sobrevivência da fauna. “Nossas árvores produzem frutos que servem de alimento para os animais silvestres que vivem em Goiânia. Uma rica diversidade de espécies arbóreas e frutos para os pássaros, micos e todo tipo de animal que vive em nossa Capital”, explica a engenheira agrónoma da Amma Fabíola Adaianne, responsável pela defesa de Goiânia no “Tree Cities Of the World”.

Plano Diretor

De acordo com a gestão da capital, o Plano Diretor de Arborização Urbana (PDAU), implementado pela Lei Complementar Nº 374, de 24 de janeiro de 2024, foi fundamental para o título. A nova legislação atualiza as regras para intervenções em unidades arbóreas e a arborização no Município.

Para o prefeito Rogério Cruz, as políticas públicas ambientais implantadas nos últimos anos definiram a conquista do título. “Estamos reorganizando a arborização de Goiânia com planejamento. A substituição de árvores antigas e já no seu final de ciclo de vida, além do incentivo ao plantio, se tornaram hábitos essenciais em nossa gestão”, afirma.

O biólogo da Gerência de Arborização Urbana da Amma, Leandro Georges, explica que a nova legislação facilitou o aumento do plantio consciente na cidade.“Ficou mais fácil implementar as políticas referentes à arborização urbana. O principal intuito da legislação foi manter a arborização em equilíbrio com mobiliários urbanos e a população, visando o aumento de plantio e manutenção de espécies e espécimes adequadas para a cidade”, destaca o biólogo.


Leia mais sobre: / / / Cidades

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.