24 de maio de 2024
Variedades

Goiânia recebe a 5º edição do Cidade Rock com programação voltada para o indie rock e pop alternativo

Banda Super Nova com músicas que já ficaram no Top 10 de rádios de Goiânia - Foto: divulgação
Banda Super Nova com músicas que já ficaram no Top 10 de rádios de Goiânia - Foto: divulgação

Com entrada franca,  a 5ª edição do Cidade Rock 2019 irá passar pelo indie rock e pelo pop alternativo com uma programação que reúne nomes consagrados da cena local, como Casa Bizantina, Projeto Supernova e Beto Cupertino (vocalista do Violins) e bandas mais novas que vem se destacando na cidade, como o Blowdrivers, Verne e Rapsódia. O evento será sábado, dia 1º de junho, no Martim Cererê.

 A Casa Bizantina com 25 anos de estrada é uma das bandas mais antigas e respeitadas do rock goiano. Com cinco discos já lançados, o grupo apresenta no Cidade Rock seu mais novo trabalho. Aborrecendo o Caos foi lançado em março deste ano e traz músicas influenciadas pelos anos 70 e 80, com guitarras vibrantes e combinando música e poesia, uma das fortes características da banda.

Já o cantor Beto Cupertino apresenta seu novo disco no evento. Conhecido por ser o compositor, vocalista e guitarrista do Violins, Beto apresenta seu segundo disco solo. A Gente vai Encontrar Sossego foi produzido por Beto em parceria com Gustavo Vazquez e traz 10 canções com direção para o acústico e intimista, tendo o violão ou piano como guia, com letras sempre ácidas e de verve crítica, característica do vocalista.

Também destaque dessa edição do Cidade Rock é a banda Projeto Supernova. Com músicas que já ficaram no TOP 10 de rádios de Goiânia, o grupo apresenta um indie-pop dançante e rico em detalhes harmônicos, com guitarras assobiáveis e uma cozinha conhecida por trabalhar em perfeita simetria.

Fundada em 2016, a Blowdrivers é uma das grandes revelações da cena rock da capital. No fim do ano passado o grupo lançou o disco You Gonna Enjoy the Feeling (Monstro Discos) que teve boa aceitação da crítica nacional e entrou na lista dos melhores discos goianos de 2018. Rock potente, com pega dos anos 70 e elementos do blues, alt-country e grunge.

Para abrir a noite, a Rapsódia, que faz o que eles definem como um “um rock mezzo pop, mezzo alternativo” e a Verne, que apresenta um “rock alternativo e pós-grunge”. Bons nomes que ganham cada vez mais destaque e dão fôlego novo ao rock produzido em Goiânia.


Leia mais sobre: / / / / Variedades