16 de abril de 2024
Saúde

Em meio a alertas constantes, Goiânia confirma primeira morte por dengue em 2024

Boletim Epidemiológico Arbovirose também revelou aumento da incidência de casos da doença na capital
A vítima, primeira a morrer por dengue em Goiânia neste ano, é do sexo feminino tinha mais de 60 anos. (Foto: reprodução)
A vítima, primeira a morrer por dengue em Goiânia neste ano, é do sexo feminino tinha mais de 60 anos. (Foto: reprodução)

Com um aumento nos casos, confirmados e em investigação em Goiânia, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), registrou a primeira morte por dengue em 2024. A vítima é do sexo feminino, acima de 60 anos. Além disso, segundo dados do Boletim Epidemiológico Arboviroses, divulgado nesta quarta-feira (21), reforçou o alerta para o cenário e às ações de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Com essa morte por dengue em Goiânia, somam-se 7 em Goiás. As demais são as 3 registradas em Uruaçu, 2 em Iporá, 1 em Cristalina e 1 em Águas Lindas de Goiás. Outras 62 mortes estão sendo investigadas pelo Comitê de Investigação de Óbitos de Dengue

O boletim ainda informou que são 2.542 casos da doença foram confirmados, um aumento de 67,2% em relação ao boletim anterior, que contabilizava 1.520 casos. Ainda de acordo com o informe, há 80 casos confirmados de chikungunya, e dois casos prováveis de zika vírus.

O titular da SMS, Wilson Pollara, aponta fatores como a variação climática, aumento das chuvas, o ressurgimento de novos sorotipos do vírus e o inverno atípico como contribuintes para o crescimento desses números.

“Além desses, outros fatores têm contribuído para o aumento de casos, como o inverno atípico, além das consequencias provocadas pelo El Niño. A chuva, somada ao calor, favorece na replicação do mosquito Aedes aegypti”, diz. Ele explica que Goiânia continua no nível de alerta 2, mas agora, com o alerta e a morte por dengue, passou para a situação 3.

Dentre outras ações que são realizadas pela Prefeitura de Goiânia para combater o mosquito, estão as visitas domiciliares realizadas pelos Agentes Comunitários de Endemias (ACEs), uma vez que, conforme dados do Ministério da Saúde (MS), 75% dos focos estão nos quintais das residencias dos moradores. “Além disso, realizamos, em dois dias de força-tarefa para combater o mosquito Aedes aegypti, 3.529 visitas em domicílios da Região Norte da Capital, que desde esta terça-feira (20/2) recebem as ações que integram o 1º Mutirão de Goiânia de 2024”, cita Pollara.

Armadilhas de proteção contra dengue

Outra medida adotada em Goiânia são as armadilhas In2Care para o controle do Aedes aegypti. Para o trabalho, que é realizado por uma tecnologia holandesa, que emite substâncias que atraem as fêmeas para depositar os ovos no interior de um recipiente semelhante a um balde que contém larvicida e um fungo para contaminar os mosquitos durante a postura dos ovos, foram adquiridos 3.250 equipamentos. Além desses, outras oito mil unidades serão adquiridas pela SMS.

As armadilhas estão instaladas em locais estratégicos da cidade, como nos setores Jardim Novo Mundo, Vila Nova, Setor Universitário e Parque Tremendão, e a iniciativa tem se mostrado extremamente eficaz no controle dos mosquitos da dengue, uma vez que houve uma redução de 49,1% de casos nos quatro setores quando analisado os registros de 2022, quando a tecnologia foi instalada, e de 2023, após um ano de utilização da tecnologia pela Prefeitura de Goiânia.

Na análise mensal, por exemplo, em janeiro de 2022 foram registrados 635 casos e em janeiro de 2023 foram registrados 237 casos, com uma redução de 62,6%.

Sintomas e cuidados

A dengue é uma doença febril aguda, sistêmica e dinâmica, que pode variar desde casos assintomáticos até quadros graves. Entre os sintomas estão febre alta, dores musculares intensas, dor ao movimentar os olhos, mal-estar, falta de apetite, dor de cabeça, manchas vermelhas no corpo e dor abdominal intensa.

Medidas para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti

  • Verificar se a caixa d’água está bem tampada;
  • Colocar areia nos pratos de plantas;
  • Recolher e acondicionar o lixo do quintal;
  • Limpar as calhas;
  • Cobrir piscinas;
  • Cobrir bem a cisterna;
  • Deixar as lixeiras bem tampadas;
  • Limpar a bandeja externa da geladeira;
  • Tapar os ralos e baixar as tampas dos vasos sanitários;
  • Limpar e guardar as vasilhas dos bichos de estimação;
  • Limpar a bandeja coletora de água do ar-condicionado;
  • Cobrir bem todos os reservatórios de água.

Leia mais sobre: / / / Goiânia

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.