17 de junho de 2024
Eleições 2024 • atualizado em 19/06/2023 às 20:27

Gleisi Hoffmann diz que há terreno em Goiás para candidaturas de esquerda nas eleições em 2024

Presidente do PT, deputada federal defende discutir aliança com partidos que apoiaram o presidente Lula (PT) em 2022
Gleisi Hoffmann concede entrevista coletiva em Goiânia (Foto: Leoiran)
Gleisi Hoffmann concede entrevista coletiva em Goiânia (Foto: Leoiran)

A presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann marcou presença em Goiânia nesta segunda-feira (19/06) e discordou que não haja espaço para candidaturas competitivas em legendas de esquerda. “É importante dizer que o presidente Lula teve 41% dos votos aqui”, disse em entrevista coletiva com jornalistas.

“Não podemos dizer que Goiás é um estado de direita. É um estado que tem posições divididas”, introduziu para dizer que há espaços para candidaturas de legendas que se colocam na centro-esquerda. “Portanto, temos condições de disputar esse eleitorado e trazer isso para as eleições locais. Isso é algo importante”, avaliou Gleisi Hoffmann.

O que será feito a partir de agora, é discutir como as candidaturas petistas e de partidos aliados vão chegar ao eleitorado. “É essa a discussão estratégica que vamos fazer. Não discutimos isso com o Governo [Lula]. Estamos conversando internamente. Tenho visitado os estados e poder agregar toda essa discussão”, avaliou.

De olho em 2024. Ela reforçou que um dos principais motivos da agenda em Goiás foi justamente esse: discutir ‘táticas’ para as eleições de 2024. “Eu vim para uma conversa e uma reunião com o PT e os partidos da Federação – o PV e o PCdoB. Para avaliar os efeitos do governo Lula aqui em Goiás, os projetos que estão chegando e os investimentos que são necessários mas também falar um pouco sobre o processo eleitoral de 2024”, salientou.

Frente ampla. Gleisi defende que as lideranças goianas mantenham diálogo com todas as legendas que estiveram juntos com a candidatura vitoriosa do presidente Lula em 2022. “Posso dizer a vocês que não faltará candidaturas do PT. Precisamos conversar com os partidos aliados. Queremos conversar com o PSB, o PDT, o MDB, o PSD, todos os partidos que se juntaram à nossa frente e apoiaram o presidente Lula no segundo turno. Isso é muito importante e não vamos perder essa expectativa”, completou.


Leia mais sobre: / / / Política

Domingos Ketelbey

Jornalista e editor do Diário de Goiás. Escreve sobre tudo e também sobre mobilidade urbana, cultura e política. Apaixonado por jornalismo literário, cafés e conversas de botequim.