14 de junho de 2024
Mudanças • atualizado em 28/05/2024 às 15:58

Gestão do Hugo passa a ser feita pelo Albert Einstein a partir da próxima terça (4)

A transição está sendo realizada em caráter emergencial, de modo a não interferir nos serviços de saúde prestados na unidade
A gestão do Hugo passará a ser feita pelo Albert Einstein no início de junho.Foto: Reprodução
A gestão do Hugo passará a ser feita pelo Albert Einstein no início de junho.Foto: Reprodução

A partir da próxima terça-feira (4), a gestão do Hospital Estadual de Urgências de Goiás – Dr. Valdemiro Cruz (Hugo) passará a ser feita pela Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SBIBAE). A transição da gestão já está em fase final, feita em caráter emergencial, de modo a não prejudicar os atendimentos na unidade.

O processo está sendo realizado pela equipe do Albert Einstein juntamente com a Comissão de Transição da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO). Conforme a pasta, o contrato emergencial com a sociedade sem fins lucrativos segue as mesmas cláusulas do documento anteriormente assinado com o Instituto CEM, atual gestor do hospital, e foi feita emergencialmente, de modo a não interromper as atividades na unidade de saúde durante a transição.

Mensalmente, a gestão custará ao Governo de Goiás o valor de R$ 21.784.313,50, considerando os programa de residências médica e multi, e ainda a folha de servidores efetivos. Tanto o valor atual, quanto as metas estabelecidas no documento seguem as mesmas diretrizes impostas no contrato anterior.

Transição gerou polêmicas

De acordo com o Governo de Goiás, a nova parceria promete elevar o patamar de excelência de atendimento do principal hospital de urgências do estado. Segundo o Governo, ficará a cargo da nova gestão a recontratação de parte do quadro de trabalhadores que atuam na unidade e estão vinculados ao Instituto CEM, no entanto, caberá ao Instituto CEM o pagamento de verbas rescisórias dos profissionais celetistas.

A SES-GO pontua, ainda, que após o processo de transição, que já segue os trâmites legais, o Instituto CEM será desqualificado pela Secretaria da Casa Civil, como organização social em saúde. Na semana passada, o Governo de Goiás enfrentou problemas com a atual gestão, quando a empresa, que foi desqualificada conforme processo instaurado pela Casa Civil, sinalizou paralisação das atividades na unidade de saúde, alegando dívida do estado no valor de R$ 30 milhões. O governo negou a pendência financeira, e a Justiça determinou o funcionamento pleno do hospital até finalizar o período de transição para a nova gestão. 

Novo padrão de gestão

Atualmente, o Albert Einstein é responsável pela gestão do Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia (HMAP), sendo também referência regional e nacional. A Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein (SBIBAE) é uma sociedade civil sem fins lucrativos e atua na saúde privada e na saúde pública em todas as etapas de assistência, ensino e educação, consultoria, pesquisa, inovação e responsabilidade social, sendo referência na área médica.


Leia mais sobre: / / / Notícias do Estado

Luana Cardoso

Luana

Atualmente atua como repórter de cidades, política e cultura. Editora da coluna Crônicas do Diário. Jornalista formada pela FIC/UFG, Bióloga graduada pelo ICB/UFG, escritora, cronista e curiosa. Estagiou no Diário de Goiás de 2022 a 2024.