24 de maio de 2024
Reta final

Gemeas siamesas paulistas passam por última cirurgia preparatória para separação, em Goiânia

A cirurgia foi realizada pelo médico Dr. Zacharias Calil e equipe
(Foto: Divulgação / Hecad)
(Foto: Divulgação / Hecad)

Na manhã desta quinta-feira (23), as gêmeas siamesas, Valentina e Heloá, passaram por um novo procedimento cirúrgico para a colocação de expansores de pele, no Hospital Estadual da Criança e Adolescente (Hecad). Elas receberam os primeiros expansores em março do ano passado. A cirurgia foi realizada pelo médico Dr. Zacharias Calil e equipe.

Este foi o quarto procedimento cirúrgico das gêmeas que já tem 2 anos e 8 meses, além de colocacão de expansores, elas já passaram por cirurgia corretiva do sistema digestivo. O procedimento realizado hoje é o último da fase de preparação para que as siamesas paulistas sejam separadas, cirurgia que vai acontecer quando o ganho de pele atingir o volume suficiente para encobrir as cicatrizes cirúrgicas.

“A introdução dos expansores foi feita com muita tranquilidade, agora vamos aguardar a recuperação das crianças que serão acompanhadas por nossa equipe na UTI do Hecad”, explica o cirurgião Dr.Zacharias Calil.

Após o êxito na aplicação dos expansores, o médico explicou que a previsão é que a cirurgia para separação das duas gêmeas aconteça no segundo semestre deste ano, em torno de três meses após a introdução dos expansores de pele, caso ocorra tudo como previsto. Segundo o médico, o prazo é necessário para que as crianças estejam com o ganho de pele suficiente para cobertura das cicatrizes consideradas de grande monta.

Valentina e Heloá

O caso de Valentina e Heloá será a 21ª cirurgia de separação de siameses pelas mãos do cirurgião pediátrico Zacharias Calil, todas elas realizadas em hospitais públicos com custeio do SUD. As gêmeas estão ligadas pelo abdômen e bacia e compartilham fígado, intestino grosso, bacia e genitália. Elas estão sendo acompanhadas pelo médico Dr. Zacharias Calil desde maio de 2021.

As meninas, já pesando quase 25 kg, são de Guararema, interior de São Paulo, mas estão morando com o pais Fernando e Waldirene em Morrinhos para ficar mais próximas de Goiânia e facilitar a logística para os procedimentos médico-cirúrgicos.


Leia mais sobre: / Cidades