26 de maio de 2024
Confusão • atualizado em 18/05/2023 às 15:55

GCM diz que disparo de arma de fogo em galeria da Região da 44 não foi feito por agentes 

Vídeos que circulam nas redes sociais, mostram um homem que supostamente teria sido baleado por agentes civis
Ação de fiscalização termina em protesto na Região da 44. (Foto: Reprodução / redes sociais)
Ação de fiscalização termina em protesto na Região da 44. (Foto: Reprodução / redes sociais)

Uma ação de fiscalização de combate à falsificação de roupas, em uma galeria da Região da 44, no setor Central de Goiânia, terminou com confusão generalizada e protestos por comerciantes, no início da tarde desta quinta-feira (18).

Vídeos que circulam nas redes sociais, mostram um homem que supostamente teria sido baleado por agentes da Guarda Civil Metropolitana de Goiânia (GCM).

A ação foi realizada por uma equipe da prefeitura, acompanhada por agentes da GMC. Informações preliminares é que dois GCMs e dois agentes de fiscalização foram ameaçados. Para impedir qualquer tipo de agressão, um guarda teria atirado para o chão.

O disparo acertou uma cerâmica e o tornozelo de um trabalhador. O homem foi socorrido por colegas e levado para uma unidade de saúde.

GCM nega

Durante entrevista à Record TV, o comandante da GCM, Wellington Paranhos, afirmou que o disparo não foi efetuado por nenhum dos agentes.

“Como existia várias pessoas, não conseguimos identificar de onde veio esse disparo. O que eu posso afirmar é que ele não surgiu dos nossos agentes fardados”, disse.

Por conta do tumulto, segundo o comandante o poder público não consegui finalizar a operação de fiscalização no local. Paranhos explica que a ação é recorrente, ou seja, acontece todos os anos junto aos demais órgãos da prefeitura de Goiânia.

“Os comerciantes ali [da galeria], por venderem mercadorias falsificadas não deixaram o poder público fazer seu papel”, destaca Paranhos que ainda completa: “Na Região da 44 tem vendedores que se maquiam como comerciantes, hoje essas pessoas se juntaram e não deixaram o poder público fazer a fiscalização partido para cima de nossa instituição de segurança pública do município”.

Ainda segundo o comandante, em meio à confusão um agente também saiu ferido no nariz e boca. Ele foi socorrido e encaminhado até um hospital.

Além disso, Paranhos conta que viaturas e veículos da prefeitura foram apedrejados durante protesto.


Leia mais sobre: / / / Cidades

Leonardo Calazenço

Jornalista - repórter de cidades, política, economia e o que mais vier! Apaixonado por comunicação e por levar a notícia de forma clara, objetiva e transparente.