27 de maio de 2022
Mundo • atualizado em 12/02/2020 às 23:47

Funcionário é apontado como suspeito de matar repórter e cinegrafista nos EUA

Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Nova York – Uma repórter e um cinegrafista foram mortos a tiros e uma terceira pessoa ficou ferida, durante uma entrevista ao vivo em uma emissora local perto de Roanoke, na Virgínia, nesta quarta-feira. O incidente ocorreu às 6h45 (hora local), quando a repórter Alison Parker,de 24 anos, e o câmera, Adam Ward, de 27, realizavam uma entrevista sobre o turismo local no Bridgewater Plaza em Moneta, Virgínia, para a emissora WDBJ, uma afiliada da CBS. Moneta fica perto de Smith Mountain Lake, uma área de recreação no sul do Estado norte-americano da Virgínia. Investigadores suspeitam que o homem armado era um “funcionário descontente” da emissora e que tropas estatais estavam perseguindo-o.

Há um vídeo do incidente, que mostra a entrevista amena sendo de repente interrompida por pelo menos seis disparos, seguidos por gritos de Parker. A mulher entrevistada era uma autoridade local da câmara de comércio, que ficou ferida no ataque.

Continua após a publicidade

 

{youtube}yRD8Q1x24vo{/youtube}

 

Continua após a publicidade

A polícia está buscando um suspeito no caso, mas não estava claro qual seria a motivação para o crime. O governador da Virgínia, Terry McAuliffe, disse que a polícia estava perseguindo o suspeito na rodovia Interstate 64 e que ele acreditava que a prisão estava próxima.

A repórter namorava Chris Hurst, que trabalhava na emissora como âncora. No Twitter, ele disse que estava muito apaixonado, que eles haviam acabado de passar a morar juntos e que ele estava “estarrecido” com o crime. O câmera namorava uma produtora da emissora, que trabalhava na redação no momento do crime, segundo funcionários do local. Fonte: Dow Jones Newswires.

(Estadão Conteúdo)

Leia mais:

Leia mais sobre:
Mundo