13 de abril de 2024
Investigação • atualizado em 31/01/2024 às 16:37

Frentistas que furtavam dinheiro de postos de combustíveis são presos em Goiânia

De acordo com a Polícia Civil, com a ajuda de um hacker o grupo causou um prejuízo R$ 90 mil em apenas uma das redes
Se condenados eles podem pegar até 11 anos de prisão. Foto - PCGO
Se condenados eles podem pegar até 11 anos de prisão. Foto - PCGO

A Polícia Civil prendeu na manhã desta quarta-feira (31), seis frentistas suspeitos de fraudar bombas de combustíveis de redes de postos de Goiânia. De acordo com a corporação, com a ajuda de um hacker, o grupo causou um prejuízo R$ 90 mil em apenas uma das redes.

Segundo a Polícia Civil, a investigação começou após os proprietários dos postos identificarem a diferença entre os valores vendidos e o combustível nas bombas.

Conforme explica a PC, o golpe acontecia nas bombas e não afetava os consumidores. Assim, as bombas foram verificadas e o desvio era no valor pago, o que não chegava ao dono do estabelecimento.

A investigação aponta que crime foi praticado em cinco postos de uma única rede. Além disso, os frentistas deram acesso a um hacker, assim ele excluía o registro da venda no sistema e possibilitava que eles ficassem com o dinheiro.

Segundo a corporação um suspeito está foragido, e os outros seis presos respondem por furto mediante fraude eletrônica e associação criminosa. Se condenados pelos dois crimes, eles podem pegar pena de até 11 anos de prisão.


Leia mais sobre: / / / / / / Cidades