24 de junho de 2024
Pressão

Flávio Dino sofre segundo revés com indicações para o Ministério da Justiça

Nivaldo Restivo desistiu de ser secretário nacional de Políticas Penais e também houve troca no comando da PRF
O futuro ministro da Justiça, Flávio Dino, enfrenta pressão antes mesmo de tomar posse (Foto: Marcos Corrêa/PR)
O futuro ministro da Justiça, Flávio Dino, enfrenta pressão antes mesmo de tomar posse (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Antes mesmo de tomar posse, o futuro ministro da Justiça, Flávio Dino (PSB), já sofreu dois reveses com indicações feitas para cargos ligados à pasta.

O mais recente é de Nivaldo Restivo. Anunciado como secretário nacional de Políticas Penais, ele desistiu do posto nesta sexta-feira (23/12). Ainda não há informações sobre quem ficará no seu lugar.

Coronel da Polícia Militar de São Paulo, Restivo participou do Massacre do Carandiru, em 1992, e foi alvo de críticas por parte de integrantes do grupo de trabalho de Justiça depois que seu nome foi confirmado.

LEIA TAMBÉM: Elias Vaz será secretário nacional de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça

Antes dele, Dino recuou, na quarta-feira (21/12), da indicação de Edmar Camata para o comando da Polícia Rodoviária Federal (PRF), após forte pressão de petistas.

Camata, no passado, comemorou a prisão do presidente eleito, Lula (PT), e o episódio não caiu bem. Atual diretor da PRF em São, Antônio Fernando será seu substituto.


Leia mais sobre: / / / Brasil