19 de julho de 2024
Política

Executiva do PMDB aprova CPI dos Grampos

Em reunião na manhã desta segunda-feira, 29, a Executiva Estadual do PMDB aprovou, por unanimidade, a apresentação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a denúncia da Revista Carta Capital, da existência de uma rede ilegal de grampos contra políticos, tuiteiros e jornalistas executada, supostamente, a mando do radialiasta Luiz Gama, que estaria falando em nome de integrantes do governo estadual. 

A CPI dos Grampos, inicialmente, foi proposta na última sexta-feira, 26, pelo deputado estadual Mauro Rubem, após a divulgação da reportagem.

“O que aconteceu foi muito grave. Grampos clandestinos para extorsão e chantagem. É inadmissível que um governo tenha participação direta nisso” enfatizou o deputado estadual Bruno Peixoto, líder do PMDB na Assembleia Legislativa.

O presidente estadual do PMDB, deputado Samuel Belchior, irá procurar os demais partidos de oposição. A ideia é que a coleta de assinaturas ocorra nos próximos dias para que a CPI seja rapidamente instalada. No sábado, Samuel já havia afirmado ser favorável a abertura da CPI.

O PMDB tem uma bancada de sete deputados e o PT outros quatro. Se todos assinarem, em um total de 11, é muito provável que a CPI seja efetivada. Além dos dois partidos, os deputados Francisco Gedda (PTN), Major Araújo (PRB), Isaura Lemos (PCdoB), Simeyzon Silveira (PSC) e  Ney Nogueira (PP) devem fechar com a oposição. 


Leia mais sobre: Política

Altair Tavares

Editor e administrador do Diário de Goiás. Repórter e comentarista de política e vários outros assuntos. Pós-graduado em Administração Estratégica de Marketing e em Cinema. Professor da área de comunicação. Para contato: [email protected] .