21 de maio de 2024
Estupro de vulnerável • atualizado em 29/03/2023 às 14:00

Ex-padrasto é preso suspeito de abusar e transmitir HIV a enteada de 8 anos, em Guapó

Em depoimento o suspeito admitiu ter HIV e disse que a mãe poderia ter transmitido o vírus a vítima, mas o exame da mulher deu negativo
Delegacia da Polícia Civil de Guapó. (Foto: Divulgação)
Delegacia da Polícia Civil de Guapó. (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira (28), um homem de 36 anos, suspeito de estuprar e transmitir o vírus HIV para a enteada, uma menina de 8 anos, em Guapó, Região Metropolitana de Goiânia. De acordo com a corporação os abusos aconteceram em 2022 e a PC tomou conhecimento do caso após o colégio onde a vítima estuda perceber mudança em seu comportamento.

De acordo com o delegado André Veloso, à direção do colégio contou que a menina começou a ter rendimento muito baixo, chorava muito e com frequência, além disso ela ficava sempre “aérea” demais.

“Foi feito relatório psicológico da criança. Numa vez, quando a menina foi violentada, o padrasto chegou a jogar as roupas dela fora porque tinha sangue”, contou o delegado.

As apurações preliminares apontam que o padrasto se aproveitava dos momentos em que a mãe da criança não estava em casa para praticar os abusos. Para não ser alvo de denúncias, ele ameaçava a criança de morte.

Ainda segundo a investigação, na ocasião, a mãe da criança soube dos estupros e se separou do homem, e logo ela conseguiu uma medida protetiva contra o então companheiro. 

Durante depoimento, o suspeito negou os estupros. Ele admitiu que tem HIV, e ainda disse que a transmissão da doença à criança poderia ter sido feita pela mãe.

“Mas o exame da mãe deu negativo, ou seja, ele contaminou só a menina”, destacou o delegado.

Os exames feitos neste ano pelo Instituto Médico Legal (IML) comprovaram que a criança foi estuprada. Outro exame de sangue comprovou a contaminação pelo vírus da Aids. 

Conforme explica o delegado o suspeito possui uma extensa ficha criminal, com passagens por cárcere privado, furto qualificado, associação criminosa, tentativa de homicídio e estupro.

Ele pode ser indiciado por estupro de vulnerável e lesão corporal gravíssima, por transmitir a doença para a menina.


Leia mais sobre: / / / / Cidades

Leonardo Calazenço

Jornalista - repórter de cidades, política, economia e o que mais vier! Apaixonado por comunicação e por levar a notícia de forma clara, objetiva e transparente.