27 de junho de 2022
Operação Acesso Pago • atualizado em 22/06/2022 às 10:19

Ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e pastores do MEC são presos em operação da PF

A operação chamada Acesso Pago investiga a prática de tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos do FNDE
(Foto: Reprodução / Redes Sociais)
(Foto: Reprodução / Redes Sociais)

A Polícia Federal prendeu, durante operação realizada na manhã desta quarta-feira (22), o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, suspeito de operar negociações dentro do Ministério da Educação e liberar verbas do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). Além do ex-ministro, a PF também cumpre mandados de busca e apreensão dos pastores bolsonaristas Arilton Moura e Gilmar Santos, lobistas que atuavam no MEC.

A operação chamada Acesso Pago investiga a prática de “tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos” do FNDE.

Além disso, a PF mapeou indícios de crimes na liberação de verbas do fundo com base em documentos, depoimentos e um relatório da CGU (Controladoria-Geral da União). Ao todo, serão cumpridos 13 mandados de busca e apreensão e cinco de prisões em Goiás, São Paulo, Pará e Distrito Federal.

Continua após a publicidade

Milton Ribeiro já era alvo da PF

Os pastores do MEC negociavam com prefeitos a liberação de recursos federais mesmo sem ocupar cargos dentro do governo federal. O pastor Gilmar Silva dos Santos, 61 anos, comanda o Ministério Cristo Para Todos, uma das várias ramificações da igreja Assembleia de Deus, em Goiânia (GO).

Portanto, o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro virou alvo de inquérito da Polícia Federal suspeito de favorecer, a pastores na liberação de verbas para prefeituras. 

Ainda de acordo com a PF, com base em documentos, depoimentos e Relatório Final da Investigação da Controladoria-Geral da União (CGU), reunidos em inquérito policial, foram identificados possíveis indícios de prática criminosa para a liberação das verbas públicas.

Continua após a publicidade