29 de maio de 2024
Depoimento • atualizado em 15/03/2023 às 09:00

Evangélicos presos por atos de 8 de janeiro dizem que igrejas organizaram caravanas e bancaram ônibus

Além das igrejas bolsonaristas relataram também a participação de empresários no financiamento
Vandalismo em no Congresso Nacional dia 8 de janeiro. (Foto: Divulgação)
Vandalismo em no Congresso Nacional dia 8 de janeiro. (Foto: Divulgação)

Em depoimentos à Polícia Federal (PF), vários evangélicos bolsonaristas que foram presos por conta dos ataques vandalismo do dia 8 de janeiro, em Brasília, disseram que igrejas de diversos lugares do Brasil bancaram ônibus e organizaram caravanas para eventos da mesma espécie. A informação é do site UOL.

Os dados obtidos com exclusividade pelo UOL, mostra que durante na última semana, foram cerca de 1.000 depoimentos sigilosos prestados à PF por extremistas presos no acampamento antidemocrático no quartel-general do Exército, logo após o 8 de janeiro.

Portanto, a documentação está sendo analisada pela PF para o aprofundamento das investigações sobre os financiadores e organizadores dos atos antidemocráticos.

Como havia uma grande quantidade de pessoas a serem ouvidas, os termos de depoimento são curtos e pouco se aprofundam sobre os temas, mas são usados como ponto de partida para as apurações.

Vale lembrar que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes foi quem determinou as prisões dos participantes do acampamento no quartel-general do Exército, logo após os atos do 8 de janeiro.

Quanto ao financiamento por igrejas evangélicas, a informação foi citada aos investigadores por pelo menos cinco pessoas, que foram presas pela PF no acampamento montado no quartel-general do Exército.

Alem disso, outros bolsonaristas relataram também a participação de empresários no financiamento e até mesmo o recebimento de doações para quem viajassem a Brasília para participar do ato antidemocrático.


Leia mais sobre: / / / / Política

Leonardo Calazenço

Jornalista - repórter de cidades, política, economia e o que mais vier! Apaixonado por comunicação e por levar a notícia de forma clara, objetiva e transparente.