30 de maio de 2024
Ataque em Blumenau

“Estamos falhando miseravelmente com nossas crianças”, diz ministro sobre ataque em creche de Blumenau (SC)

Um homem de 25 anos pulou o muro da creche e matou quatro crianças
Ministro dos Direitos Humanos e Cidadania, Silvio Almeida. (Foto: Agência Brasil)
Ministro dos Direitos Humanos e Cidadania, Silvio Almeida. (Foto: Agência Brasil)

O ministro dos Direitos Humanos e Cidadania, Silvio Almeida, comentou, nesta segunda-feira (5), sobre o ataque brutal em uma creche de Blumenau (SC), onde quatro crianças morreram e outras 5 ficaram feridas. Emocionado, o ministro disse que a sociedade está “falhando miseravelmente com as nossas crianças e adolescentes”.

“Nós estamos matando a esperança das pessoas, estamos criando um mundo em que a esperança não é possível. Então, senhoras e senhores, conclamo a todos nós que tenhamos a capacidade de entender os nossos limites diante disso. E retomar o valor da política como algo que transforma o mundo. Precisamos ter a ousadia de fazer política”, discursou o ministro.

O ministro ainda completa: “Eu não me conformo com isso. Eu não quero viver num mundo assim. Eu me recuso a viver num mundo assim. Isso é inaceitável. Que nós possamos cultivar a indignação, porque não podemos aceitar que crianças e adolescentes sejam mortos nesse país. Não podemos aceitar que matem nosso futuro, não podemos aceitar que matem a nossa esperança”.

O ataque aconteceu no início da manhã de hoje, na creche Cantinho Bom Pastor, que fica na rua dos Caçadores, no bairro Velha. A unidade de ensino é particular e as vítimas têm entre 4 e 7 anos.

O assassino, de 25 anos, chegou de motocicleta na unidade, pulou o muro da creche e iniciou o ataque contra as crianças com uma machadinha. As vítimas foram atingidas na região da cabeça. Após a ação, ele se entregou.


Leia mais sobre: / / / Brasil

Leonardo Calazenço

Jornalista - repórter de cidades, política, economia e o que mais vier! Apaixonado por comunicação e por levar a notícia de forma clara, objetiva e transparente.