logomarcadiariodegoias2017

Foto: Divulgação Atlético Mineiro
materia cruzeiro

ENRICO BRUNO
BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - A bola parada tem sido um dos problemas recentes do Cruzeiro nos últimos jogos. Seja em cobranças de falta, após arremesso lateral ou escanteios, o time sofreu na primeira final contra o Atlético-MG (derrota por 3 a 1) e vai com atenção redobrada para a partida decisiva deste domingo (8), que decidirá o título mineiro.

Principal responsável pelas bolas paradas no alvinegro, Otero é quem mais preocupa o time celeste, que terá pela frente o dilema de marcar firme, mas não cometer faltas em regiões próximas da área para não dar oportunidades ao meia venezuelano.

Até a semana passada, o clube estava invicto no Campeonato Mineiro e com favoritismo para ficar com o título do torneio. Mas as bolas paradas, que já haviam prejudicado o time na estreia da Libertadores e nas quartas do estadual, voltou a atormentar a equipe diante do Atlético. Na primeira final do Mineiro, Otero não marcou nenhum gol, mas dividiu com Ricardo Oliveira o protagonismo da partida no Horto. Foi dele a cobrança de falta que resultou no primeiro gol, o escanteio que gerou o segundo e o cruzamento que antecedeu o terceiro. Com três assistências, o meia se tornou o grande alvo a ser anulado no rival.

"Vamos ter quer fazer uma boa marcação em todos os jogadores. Ele não cobra só as faltas que ele sofre. É um grande cobrador de falta e teremos o cuidado de não fazer faltas perto da área. Mas também não podemos marcar frouxo. Senão outros jogadores vão se sobressair, criar jogadas e decidir o jogo. Tem que achar esse ponto de equilíbrio, é algo que estamos trabalhando entre a motivação, o controle emocional, a força, o ímpeto e a inteligência para saber jogar um jogo como será jogado", comentou o técnico Mano Menezes.

Nos dois clássicos jogados até o momento, Otero só não marcou gols de falta por causa de duas ótimas paradas do goleiro Fábio. Na partida da primeira fase, o goleiro defendeu com o pé a cobrança forte ainda no início do jogo. Já na decisão, Fábio não conseguiu encaixar a bola, mas evitou o que seria o quarto gol do Atlético já no final da partida.

Apesar de Mano não ter confirmado a escalação do time, a tendência é de que o setor defensivo seja quase o mesmo que jogou diante do Vasco. Na lateral direita,

Edilson pode recuperar seu posto. Léo, Dedé, Henrique e Ariel Cabral serão outras peças importantes para tentar anular a ofensiva atleticana.

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

SEARCH