logomarcadiariodegoias2017

Foto: Divulgação Cruzeiro
cruzeiro raniel

ENRICO BRUNO
BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - Cruzeiro e Patrocinense se reencontraram neste sábado, no Mineirão, em jogo que valeu vaga na semifinal do Campeonato Estadual. Sem a vantagem do empate, o time dirigido por Mano Menezes garantiu a classificação com uma vitória por 2 a 0. O destaque do jogo foi o garoto Raniel, que vem aproveitando bem a ausência de Fred e marcou os dois gols.

Dentro de campo, tudo que se falou durante a semana foi colocado em prática. Enquanto o Cruzeiro tomou as rédeas por todo o jogo, o Patrocinense jogou por uma bola e buscou o milagre que não aconteceu. O visitante do interior até suportou o primeiro tempo sem levar gols, mas não foi páreo para o gigante da capital e não teve forças para reagir.

Agora, o Cruzeiro aguarda o restante das próximas partidas para conhecer seu adversário na semifinal do Mineiro. Certo é que o time de Mano jogará a segunda partida do mata-mata novamente no Mineirão. O primeiro duelo será no meio de semana e o confronto da volta acontecerá no final de semana que vem.

Quando recebeu a missão de substituir Fred no clássico contra o Atlético, Raniel não sentiu a pressão e marcou o gol da vitória. Desta vez não foi diferente. O garoto de 21 anos usou seu talento individual para abrir o placar do jogo e deixar as coisas mais fáceis para o Cruzeiro. Foi dele também o segundo gol que decretou de vez a vaga para a semifinal.

Bastante superior tecnicamente, o Cruzeiro tomou as rédes desde o início, mas passou em branco no primeiro tempo. Os comandados de Mano chegaram a ter mais de 70% da posse de bola e variaram as jogadas. Pelo alto, nas trocas de passes ou chutes a distância, o Cruzeiro chegou bem em pelo menos quatro oportunidades. Thiago Neves, com três finalizações, foi quem mais se destacou. Robinho e principalmente Dedé, nas jogadas aéreas, também levaram perigo.

Uma das principais chances de gol do Cruzeiro quase saiu dos pés do atacante Berger. Ao ver Thiago Neves tentar encontrar Rafinha dentro da área, o jogador da Patrocinense tentou cortar o lançamento com a ponta da chuteira e até conseguiu, mas a bola encobriu o goleiro Neguete e por pouco não terminou no fundo das redes.

A proposta do time visitante era clara: se fechar na defesa e tentar ganhar o jogo em um lance isolado. Defensivamente, o Patrocinense se portou bem, bastante sólido e sobrevivendo às ofensivas celestes. No ataque, alguns jogadores sequer passavam do meio campo e o time mal conseguiu manter-se com a bola. A primeira e única finalização do primeiro tempo ocorreu aos 21 minutos com Jefersom Berger, fraca e longe do gol. Aos 41, a equipe construiu uma boa jogada, mas Dedé afastou o perigo.

Com poucos segundos do segundo tempo, o Cruzeiro voltou a ameaçar sem fazer esforços. Raniel viu Thiago Neves livre, mas preferiu chutar ao gol. Neguete defendeu. Pouco depois, Dedé, agora com os pés, pegou mal na bola e perdeu outra boa chance dentro da área. Mais recuada e obrigando o Patrocinense a sair para o jogo, o Cruzeiro encontrou uma saída na individualidade. Ao receber de Murilo, Raniel teve espaço para usar sua velocidade e superar dois marcadores antes de tocar rasteiro e abrir o placar. 1 a 0.

Imediatamente depois do gol de Raniel, Wellington Fajardo foi obrigado a soltar sua equipe em busca do empate. Em dez minutos, o treinador queimou as três alterações, todas no setor ofensivo, mas não viu suas mudanças surtirem efeito, muito por causa da segurança do Cruzeiro. Com mais espaço para atacar, o time celeste chegou novamente ao gol e sacramentou a vaga. O gol veio novamente com Raniel, que recebeu de Robinho na entrada da área e soltou o pé para estufar as redes e fechar a conta.

CRUZEIRO

Fábio; Lucas Romero, Murilo, Dedé, Egídio; Henrique, Ariel Cabral, Robinho (Mancuello), Thiago Neves (Arrascaeta); Rafinha, Raniel (Rafael Sóbis). T.: Mano Menezes

PATROCINENSE

Neguete; Ângelo, Diego Borges, Juninho, Mateus Mendes; Mário César, Bruno Moreno, Leomir, Diogo Peixoto (Juninho Arcanjo); Jeferson Berger (Thiago Brito), Marcelo Régis (Genesis). T.: Wellington Fajardo

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Juiz: Ronei Cândido Alves.

Cartões amarelos: Raniel, Thiago Neves, Ariel Cabral, Rafael Sóbis (Cruzeiro); Bruno Moreno, Leomir (Patrocinense)

Gols: Raniel, aos 7 e aos 19min do segundo tempo

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

SEARCH