21 de julho de 2024
ELEIÇÕES 2024 • atualizado em 09/07/2024 às 17:42

“Espero que Vilmar esteja com Leandro para continuar o legado de Maguito”, afirma Gustavo Mendanha

Ex-prefeito acena para Vilmar Mariano deixar a mágoa de lado e se juntar a Leandro Vilela; ao Professor Alcides ele indica que vai incentivar que eleitor apele para ele não abandonar mandato
Gustavo Mendanha acena para Vilmar compor campanha de Leandro Vilela - Foto: Diário de Goiás
Gustavo Mendanha acena para Vilmar compor campanha de Leandro Vilela - Foto: Diário de Goiás

O ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, enfim acenou para o atual prefeito, Vilmar Mariano, compor o grupo que apoia a pré-candidatura do deputado federal Leandro Vilela à prefeitura da cidade esse ano pelo MDB. O caminho que Vilmar vai seguir é um anúncio esperado desde que ele foi preterido pelo grupo, em 21 de junho. O argumento foi não ter bom desempenho nas pesquisas frente ao seu principal oponente, o também deputado federal Professor Alcides (PL).

Em entrevista ao editor-chefe do Diário de Goiás, jornalista Altair Tavares nesta terça-feira (9), Mendanha usou expressões de incentivo a respeito de Vilmar, tratado como “companheiro e amigo”. Foram citações vindas depois de um período de dúvida sobre o bem-estar do relacionamento entre eles nos bastidores e até publicamente. Em evento recente o prefeito chegou a ficar de costas para o antecessor durante um discurso.

“A gente torcia para dar certo”, afirma Mendanha

“A gente sabe de toda essa situação com o prefeito Vilmar, que a gente torcia muito para dar certo. Ele teve o tempo que ele pediu para o governador, mas no final do processo foram feitas pesquisas e ele não conseguiu êxito. Vilmar é um companheiro, um amigo, uma escolha pessoal que fiz para que fosse vice-prefeito nas eleições de 2020”, pontuou.

Sobre apoiar Leandro, ele destacou: “Claro que a gente espera que ele [Vilmar] possa estar junto com a gente para continuar o legado de Maguito Vilela com o Leandro, que tem já um conhecimento da sociedade de Aparecida”. Em seguida lembrou que o deputado federal emedebista representou a cidade nos primeiros anos do governo de Maguito Vilela.

“Muitas das obras conquistadas e executadas por Maguito, Vilmar e até por mim foram obras do trabalho dele [Leandro] na Câmara Federal. Hoje ele tem o apoio do governador Caiado, tem o meu apoio, o apoio de lideranças importantes e expressivas da cidade e nos queremos apresentar [isso] para o eleitor”, completou Mendanha.

Ele admite que o maior desafio de Leandro é “o eleitor ter conhecimento de que ele é realmente o pré-candidato”, embora reitere em diversos momentos que a população o conhece.

Outros apoios

Enquanto busca consertar a relação com o atual prefeito da cidade, o ex-prefeito também articula outros apoios para Leandro Vilela. Um sinal foi a sua ida a Senador Canedo para o lançamento da pré-candidatura a prefeita de Izaura Cardoso (PSD).

“De fato existe diálogo entre MDB e PSD para ter o apoio em Aparecida”, confirma. Depois, Mendanha cita como ganhos numa eventual aliança, o tempo de televisão e as chapas de pré-candidatos a vereador. “Da mesma forma que Izaura vem conversando para ter em Senador Canedo o apoio do MDB”, reforçou.

Por outro lado, Mendança disse que o assunto será tratado pelos presidentes dos dois partidos. “Foi um gesto pessoal. Mas se a gente avançar para isso, quem sabe no futuro construímos essa aliança em Goiânia”, indicou. Na capital, entretanto, embora o nome do PSD seja o do marido de Izaura, o Senador Vanderlan Cardoso, ele concorre com o grupo apoiado por Mendanha e não sinaliza disposição de compor tão cedo.

Recado a Alcides

A prevalecer a linha dada por Gustavo Mendanha sobre como tratar a campanha de Professor Alcides, o deputado federal deve se preparar para ser confrontado em um ponto fraco irremediável que é o próprio mandato. O ex-prefeito disse que na campanha o eleitorado será convidado a cobrar que Alcides permaneça na Câmara.

“A gente tem um candidato que é deputado federal. A gente perde muito em não tê-lo na Câmara Federal, onde tem as emendas impositivas que ele pode destinar para Aparecida. A cidade perder um deputado federal é perder talvez a condição de construir novos CMEIs UBSs, se ele não estiver lá. Vamos fazer esse apelo ao eleitor”, sinalizou.


Leia mais sobre: Eleições 2024 / Geral / Política

Marília Assunção

Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás. Também formada em História pela Universidade Católica de Goiás e pós-graduada em Regulação Econômica de Mercados pela Universidade de Brasília. Repórter de diferentes áreas para os jornais O Popular e Estadão (correspondente). Prêmios de jornalismo: duas edições do Crea/GO, Embratel e Esso em categoria nacional.