20 de julho de 2024
Especial

Esgoto das cidades ribeirinhas desagua no Rio Araguaia, denuncia delegado

Delegado Luziano de Carvalho cobra investimento no saneamento para evitar esgoto no Rio Araguaia (foto Divulgação)
Delegado Luziano de Carvalho cobra investimento no saneamento para evitar esgoto no Rio Araguaia (foto Divulgação)

Em entrevista a rádio Bons Ventos FM, o delegado titular da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), Luziano Carvalho afirmou que não é surpresa nenhuma que as cidades ribeirinhas joguem esgoto no Rio Araguaia, há muito tempo. Além disso, questiona a falta de um plano de tratamento para esse esgoto e alerta para o problema dos loteamentos irregulares.

LEIA TAMBÉM: Delegado defende proibição do uso do Rio Araguaia para irrigação; Deputado cobra controle

“Nós abrimos inquéritos no ano passado sobre o saneamento em Goiânia e em Goiás por lançar o esgoto ou porque não estava devidamente tratado ou sem nenhuma forma de tratamento e também já indiciamos empreendimentos. Todas as cidades tanto de Goiás quanto do Mato Grosso jogam no Araguaia”, destaca Luziano.

Ainda segundo o delegado, é possível notar não o crime, mas a ação de poluição ambiental. “Se observar o nível de volume de água do Araguaia pode ser que não caracteriza crime ambiental, mas sem dúvida é uma poluição ambiental. Isso tem que mudar  e vai mudar precisamos de um envolvimento, é preciso ações contundentes, planejamentos e projetos. Hoje, meio ambiente é muita falácia é muita enganação ambiental, todos têm que fazer na prática, aquilo que está no papel, tem que vir de forma ideal”, argumenta.

“Todo mundo fala que ama o meio ambiente, não ama coisa nenhuma . Ama só no mês de julho. E os esgotos das praias do Rio Araguaia para onde vão? É muito grave isso. A função da Polícia Civil não é de fiscalizar, temos hoje falhas em muitos setores, mas principalmente na própria consciência. Falhamos também na fiscalização, na punição mas se for mudar a  consciência é com Leis”, desabafa o delegado.

Loteamentos irregulares

Outro problema apresentado pelo delegado é a construção e venda de loteamentos a beira do Rio Araguaia. “É muito grave os loteamentos irregulares, virou uma praga. É importante falar para não comprarem lotes na beira de rios, não só do Araguaia. Temos mais de 23 loteamentos irregulares em Uru, por exemplo, e mais de 12 no Araguaia tanto do lado de Goiás, quanto do Mato Grosso e tem uma deficiência para conter isso”, destaca.

Ainda de acordo com o delegado, nesses casos a omissão é muitas vezes mais grave do que a própria ação. “Temos aquele que loteia e que ganha muito dinheiro porque é proibido fazer o desmembramento, é crime”, conclui.


Leia mais sobre: / / / Especial

Altair Tavares

Editor e administrador do Diário de Goiás. Repórter e comentarista de política e vários outros assuntos. Pós-graduado em Administração Estratégica de Marketing e em Cinema. Professor da área de comunicação. Para contato: [email protected] .