23 de abril de 2024
INVASÃO

Escritório político da deputada federal Silvye Alves é arrombado

Polícia Militar está no local e a equipe de Silvye Alves, bem como a deputada, estão aguardando a perícia
Arrombamento foi por uma grande porta de vidro que fica nos fundos do escritório, conforme informado. (Foto: Zeca Oliveira)
Arrombamento foi por uma grande porta de vidro que fica nos fundos do escritório, conforme informado. (Foto: Zeca Oliveira)

O escritório político da deputada federal Silvye Alves foi encontrado com sinais de arrombamento após o feriado do Carnaval. Conforme informado, nesta quinta-feira (15), quando a secretária chegou para abrir o escritório percebeu que o local tinha sido invadido. Este é o segundo arrombamento no gabinete da deputada em menos três meses.

“Na hora que ela abriu a porta da frente já percebeu as gavetas reviradas, documentos soltos, tudo meio que revirado, e ela já acionou os outros funcionários. Nós chamamos a Polícia Militar, que está aqui nesse momento. Estamos aguardando a chegada da perícia porque tem muito sinal de sangue”, afirmou o assessor de imprensa de Silvye, Zeca Oliveira.

De acordo com as informações preliminares, o arrombamento foi por uma grande porta de vidro que fica nos fundos do escritório. “O vidro está todo quebrado aqui pelo fundo, que é uma cozinha. É por onde o bandido ou os bandidos, que a gente não sabe quantos, passaram”, explicou.

Sobre os sinais de sangue pelo escritório, a equipe e a própria Sylvie estão aguardando a chegada da perícia para fazer esse trabalho. Conforme informado, o local tem alarme e cerca elétrica, que não foram considerados fatores impeditivos para a entrada dos criminosos. Entretanto, não há imagens dos suspeitos, uma vez que a casa não possui câmeras de segurança.

Arrombamento

Esse é o segundo episódio de arrombamento no escritório da deputada Silvye Alves, sendo o primeiro no dia 30 de novembro do ano passado. Segundo o assessor, na época os bandidos entraram pelos fundos e levaram alguns computadores, mas ninguém foi apontado como suspeito, uma vez que os bandidos não foram identificados.  


Leia mais sobre: / / / / / / / Cidades

Maria Paula

Jornalista formada pela PUC-GO em 2022 e MBA em Marketing pela USP.