25 de julho de 2024
Cidades • atualizado em 27/09/2023 às 19:02

Equatorial culpa consumo alto pelas frequentes quedas de energia

Em coletiva, Presidente da Equatorial Goiás também afirmou que onda de calor afeta na demanda de carga
Presidente da Equatorial Goiás afirma que evolução na qualidade e continuidade do suprimento será contínua e gradativa (Divulgação)
Presidente da Equatorial Goiás afirma que evolução na qualidade e continuidade do suprimento será contínua e gradativa (Divulgação)

Em coletiva de imprensa realizada hoje (27/09), o Presidente da Equatorial Goiás, Lener Jayme, afirmou que a má qualidade no fornecimento de energia elétrica tem sido causada pelo aumento no consumo. Alegando estar sobrecarregada, a concessionária diz que realiza investimentos, mas que, por vezes, não está sendo suficiente para atender a necessidade da população, afetada por uma forte onda de calor. A demanda chegou a crescer 16% em algumas regiões de Goiás.

Com uma herança obsoleta, ao assumir a concessão goiana, a Equatorial Goiás identificou que quase 50% das unidades transformadoras de distribuição de energia apresentam sobrecarga. Ao todo, 72% dos circuitos são monofásicos (com apenas um recurso de fornecimento) e 14% dos ativos da concessão depreciados.

No primeiro semestre de 2023, a Equatorial Goiás executou um programa de investimentos de aproximadamente R$ 1,38 bilhão. Futuramente a empresa pretende alocar muito mais recursos para evoluir na qualidade e confiabilidade do fornecimento de energia.

Um outro ponto levantado na coletiva é referente a onda de calor que atingiu todo o país nos últimos dias, e tem prejudicado a distribuição de energia. “É um período atípico que nós vivemos. A onda de calor está afetando todos nós. O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) registrou aumento de quase 7% na demanda de carga em todo o país em função do calor e somente em Goiás, vimos este dado crescer 16% em algumas regiões de Goiás”, destacou Lener.

Alternativa

Para corrigir o problema, a empresa investe na conexão de religadores de rede, que diminuem as interrupções longas de energia. “Nesta recomposição de rede, o cliente sentirá as piscadas, no momento em que há a tentativa de restabelecer a energia e na conexão com uma outra linha da rede de distribuição. No entanto, este consumidor permanece com energia, como não ocorria antes. A tendência é que essas pequenas interrupções diminuam gradativamente, com os investimentos na rede, diminuindo seus impactos”, explicou Jayme.

Embora a Equatorial Goiás passe por esses desafios, a expectativa é de que a melhora seja gradativa. “Os nossos compromissos vêm sendo saldados, dia após dia. O tamanho do investimento realizado, em curto espaço de tempo, não se via há anos na distribuidora. A rede encontrada é degradada e não vendemos ilusões: os problemas continuarão ocorrendo, mas mostraremos que gradativamente vamos evoluir na qualidade da rede”, disse o presidente.


Leia mais sobre: / / / Cidades / Geral

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019