14 de agosto de 2022
Articulações • atualizado em 02/08/2022 às 14:25

Entidade apresenta propostas à presidenciáveis para setor do transporte no Brasil

A intenção da entidade é se reunir com todos presidenciáveis no período de campanhas eleitorais para apresentar queixas e planos para melhorias
Entidades relacionadas à categoria de transportes no Brasil se reunirá com presidenciáveis para discutir planos. Foto: Reprodução
Entidades relacionadas à categoria de transportes no Brasil se reunirá com presidenciáveis para discutir planos. Foto: Reprodução

Com foco nas melhorias no setor de transportes no Brasil, a Confederação Nacional do Transporte (CNT), promove a primeira edição do ”Diálogo com os presidenciáveis”, para discutir propostas e cobrar compromissos para a categoria.

Na última quinta (28/07), a CNT, recebeu o candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT). No evento, que ocorreu na sede da CNT, em Brasília, com participação também do presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres (CNTTT), Jaime Aguiar, Lula foi apresentado às propostas e cobranças da confederação.

Na ocasião, o ex-presidente deu a entender que tem planos relacionados à infraestrutura de transportes no Brasil. “Dinheiro em caixa é bom se transformando em obra, se transformando em rodovia, em ferrovia, em portos, em aeroportos, em empregos. E é isso que vamos fazer neste país”, disse o candidato.

Continua após a publicidade

O propósito é de que haja diálogos com outros presidenciáveis ao longo das campanhas eleitorais. O presidente da CNTTT, Jaime Bueno Aguiar, reiterou a necessidade de reconhecimento que a classe necessita neste momento.

“O transporte não teve o devido reconhecimento por parte do atual governo federal. As empresas ficaram jogadas à própria sorte ao longo dos últimos anos gerando consequências diretas para a manutenção do emprego do trabalhador. A pandemia acentuou ainda mais os problemas e nada foi feito para minimizar os impactos que o serviço sofreu. Não podemos aceitar isso calados”, destacou o presidente.

Mesmo sendo um dos principais responsáveis pelo crescimento do país, para a economia e geração de empregos, o setor de transportes sofre com falta de investimentos e infraestrutura ao longo dos últimos anos. Diante disso, se fez necessária a tentativa de contato direto com os novos candidatos para apresentar queixas e discutir propostas.

Continua após a publicidade

“Não podemos ficar esquecidos por outros quatro anos. Precisamos de um presidente que olhe de fato para as demandas de quem trabalha se sacrificando pelas rodovias e ferrovias para movimentar a economia brasileira”, pontuou Jaime Bueno ao justificar a intenção das reuniões com os candidatos.