07 de agosto de 2022
Cidades • atualizado em 02/06/2020 às 17:45

Entenda o que é “Blackout Tuesday”

Movimento dominou redes sociais nesta terça-feira (2). Foto: Reprodução.
Movimento dominou redes sociais nesta terça-feira (2). Foto: Reprodução.

Nesta terça-feira (2), as redes sociais estão diferentes. Famosos e pessoas comuns postaram imagens pretas como foto de perfil, ou no feed, indicando “Blackout Tuesday”, (terça-feira do apagão, em tradução livre). O protesto faz parte do movimento batizado de Blackout Tuesday e busca chamar atenção para a violência contra negros. A ação faz parte das manifestações que começaram nos Estados Unidos depois da morte de George Floyd nas mãos da polícia.

A ideia do apagão é mostrar apoio à comunidade negra e também permitir que os feeds mais quietos ajudem a dar visibilidade a posts de pessoas negras.  Na tarde desta terça, se espalharam alertas nas redes para usar apenas a hashtag #blackouttuesday para postar os quadrados pretos.

Os protestos ocorrem desde a última semana nos EUA depois que Floyd, um homem negro, foi morto por um policial branco durante uma abordagem. Ele alertou que tinha dificuldades para respirar e apesar dos protestos de testemunhas presentes no momento continuou sendo contido com um joelho no pescoço. Floyd chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu.

Continua após a publicidade

O movimento foi organizado por empresas do setor da música e começou fora do Brasil. Em pouco tempo, tomou conta das redes sociais. O BlackOut Tuesday começou com a hashtag #showmustbepaused (O show precisa parar, em tradução) no intuito dos artistas tirarem de si os holofotes e virarem para a comunidade que tem sofrido com racismo estrutural.

 A Apple Music apagou todas as publicações no Instagram, e deixou apenas um vídeo e uma foto do movimento. O Spotify aderiu à campanha e prometeu inserir 9 minutos de silêncio entre músicas e podcasts.

A indústria musical brasileira também aderiu ao movimento, incluindo: Som Livre, Warner Music Brasil, Sony Music Brasil, Ingrooves Brazil, ONErpm, UBC, Universal Music Brasil, além da Deezer Brasil, que compartilharam declarações em suas redes sociais com a hashtag #VidasNegrasImportam.

Continua após a publicidade

Futebol Goiano

No futebol goiano, Goiás e Atlético usaram as redes sociais em protesto as ações racistas.

Atlético Clube Goianiense

https://www.instagram.com/p/CA50fyXFQxh/?utm_source=ig_web_copy_link
Atlético Goianiense ilustrou personalidades de combate ao racismo como Nelson Mandela

Goiás Esporte Clube

O Goiás Esporte Clube por dois dias seguidos fez publicações em combate ao racismo:

https://www.instagram.com/p/CA50h7_AYwd/?utm_source=ig_web_copy_link
https://www.instagram.com/p/CA8YYkQHToH/?utm_source=ig_web_copy_link
Goiás fez publicações antirracistas nas redes sociais
Leia mais sobre:
Cidades