10 de agosto de 2022
Educação

Ensino Superior: matrículas em cursos EAD ultrapassam presenciais

Closeup man hands using computer laptop for online learning, online business, chatting, social media.
Closeup man hands using computer laptop for online learning, online business, chatting, social media.

Pela primeira vez, os cursos a distância no país receberam mais matrículas do que os presenciais, tanto na rede pública quanto na privada, em 2020, segundo o Censo da Educação Superior 2020, divulgado na última sexta-feira (18). Flexibilidade de estudo e mensalidades mais baixas são os principais benefícios para quem procura pela modalidade EAD.

Conforme o Censo, em 2020 houve mais de 3,7 milhões de ingressantes em instituições públicas e privadas. Mais de dois milhões (53,4%) optaram por cursos a distância e 1,7 milhão (46,6%), pelos presenciais.

Em 2020, 3,7 milhões de estudantes começaram uma faculdade. No mesmo ano, mais de 8,6 milhões de matrículas foram registradas das quais 1,2 milhão são de concluintes. Conforme o Censo, existem 2.457 instituições de educação superior no Brasil. Dessas, a maioria, 2.153 (87,6%), é privada e na rede pública o total é de 304 (12,4%).

Continua após a publicidade

Para o diretor-presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior (ABMES), Celso Niskier, o resultado mostra a força da educação a distância, o investimento do setor em tecnologia e a melhor aceitação da sociedade a essa modalidade. “Com isso, nós ganhamos mais flexibilidade e mais alcance para educação superior”.

Cursos EAD mais procurados

Segundo o Censoda Educação Superior 2020, os cursos a distância mais procurados pelos estudantes tanto na universidade pública quanto particular são:

Continua após a publicidade

  1. Pedagogia
  2. Administração
  3. Contabilidade
  4. Gestão de Pessoas
  5. Tecnologia da Informação

Censo da Educação Superior

O Censo da Educação Superior é realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O documento traz dados sobre as instituições que ofertam cursos de graduação e sequenciais de formação específica.

O Censo subsidia a formulação, o monitoramento e a avaliação de políticas públicas da educação superior e contribui para o cálculo de indicadores de qualidade como o Conceito Preliminar de Curso (CPC) e o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC).

Fonte: Agência Educa Mais Brasil