25 de junho de 2024
Política

Enfim, CPI do Cachoeira tem início na Assembleia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) proposta pelo líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Helder Valim (PSDB), para investigar o relacionamento entre políticos do Estado de Goiás com a contravenção comandada por Carlinhos Cachoeira, realizou sua primeira reunião na manhã desta quinta-feira (10). Foram indicados os deputados Helio de Sousa (DEM) para presidência, Talles Barreto (PTB) para relatoria e Mauro Rubens (PT) para vice-presidência dos trabalhos.

O foco das investigações será os contratos firmados, pelo Governo de Goiás e prefeituras municipais, com a empresa Delta Construtora. Segundo o relator da nova CPI, é necessário que estes esclarecimentos sejam feitos para amenizar o descrédito político que paira sob a sociedade goiana. “A população quer saber se existe ou não irregularidades. Vamos trabalhar com intuito de esclarecer os fatos. Não vamos aprofundar apenas nas prefeituras municipais, todas as autoridades políticas do Estado serão investigadas”, declarou o deputado.

Apesar dos inúmeros debates vivenciados na Assembleia em torno desta CPI, Talles Barreto acredita que os trabalhos serão realizados com equilíbrio, cautela e isento de emoções. “As discussões são normais, mas na CPI o objetivo é claro e vamos alcançá-lo. O deputado Hélio de Sousa é experiente e tem total equilíbrio para conduzir os trabalhos diferindo os fatos das emoções”, afirmou.

O deputado Túlio Isac (PSDB) ressaltou seu apoio e confiança na CPI e afirmou ser de fato necessária estas investigações para provar a inocência do governador do Estado, Marconi Perillo (PSDB). “Nada melhor do que esta Comissão para mostrar as verdades dos fatos. Deveríamos investigar também o mensalão que goianos estiveram envolvidos, além de muitos outros crimes que agora estão sendo ignorados”, disse.

Mauro Rubens lembrou o descrédito que as CPIs têm entre a sociedade, mas garantiu que irá se dedicar para que os resultados sejam de fato efetivos. “Vamos trabalhar para alcançar os objetivos propostos. É fundamental a resposta dessa Casa para a sociedade. Temos de fazer nosso papel, buscar a verdade. O PT vai se desdobrar para produzir os esclarecimentos que a sociedade espera”, ressaltou.

O presidente Helio de Sousa finalizou a sessão lembrando o objetivo principal de toda CPI, e explicou que a função da Comissão não é de acusar, condenar ou julgar ninguém. “Só questionamos os atos. E a CPI será importante para que as pessoas envolvidas façam sua defesa.” Helio informou que apresentará ao Diretor-Geral da Assembleia, Milton Campos, pedido para que os Tribunais de Contas do Estado e dos Municípios subsidiem a CPI principalmente em relação a contratos do Estado e das prefeituras com as empresas Delta investigadas.


Leia mais sobre: Política