20 de maio de 2024
ÓTIMO DESEMPENHO • atualizado em 17/01/2024 às 12:34

Enem 2023: aluna que tirou mais de 900 na redação e professora contam como ter um bom desempenho na prova

Tema da redação do Enem 2023 foi “Desafios para o enfrentamento da invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pela mulher no Brasil”
Resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023 foram divulgados na terça-feira (16). (Foto: Reprodução)
Resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023 foram divulgados na terça-feira (16). (Foto: Reprodução)

Os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023 foram divulgados na terça-feira (16), fazendo com que muitos alunos se alegrassem diante das notas na prova. Um dos maiores temores dos estudantes é a redação, uma vez que só se tem conhecimento sobre o tema no horário do exame, mas muitos se destacaram com notas acima de 900.

No Brasil, 60 estudantes conseguiram atingir a nota máxima na redação, sendo quatro da rede pública. Entretanto, notas acima de 900 também geram muitas expectativas nos estudantes para ingressarem em universidades federais no país.

Camilla Bianca Rocha, estudou no Colégio Expressivo e pretende cursar letras pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Demonstrando seu domínio e ótimo desempenho na escrita, a estudante atingiu nota 940 com o tema de 2023, “Desafios para o enfrentamento da invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pela mulher no Brasil”.

Segundo Camilla Bianca, ela estava pessimista quanto ao resultado do Enem, mas se surpreendeu com a pontuação. “Tirei 940 e sei que tenho a capacidade de conseguir mais nota, mas estive tão ansiosa no dia do exame que nem esperava uma nota tão alta. Então fiquei bem contente com os meus resultados de uma forma geral, não só na prova de redação. Sinto que subestimei a mim mesma”, disse.

A professora de redação e literatura do Colégio Expressivo, Jackeline Fernanda Ferreira Ribeiro, que foi uma das profissionais que preparou Camilla Bianca para a parte de linguagens do Enem, afirmou se sentir realizada quando vê o bom desempenho dos alunos. “Sinto que tudo que fiz, assim como os outros professores, deu frutos. E eu fico mais feliz ainda por eles terem se superado desta forma, por todos conseguiram alcançar notas maiores que do ano anterior”, relatou.

Apesar de ser um fator importante, Jackeline acredita que a nota no Enem, tanto em relação a redação quanto às outras áreas, não reflete a capacidade total dos alunos. “O conhecimento de cada um não é possível de se mensurar em uma prova tão extensa e cansativa como a do Enem. E, se não foi bem ano passado, este ano terá uma nova oportunidade. Estude e faça novamente”, orienta.

Preparação

Para se preparar para a prova, Camilla Bianca conta que estudou estratégias para monitorar o tempo e conseguir responder as questões com tranquilidade. “Acho que poupar tempo é tão importante quanto estudar os conteúdos que realmente caem, visto que muitas das questões, não só da prova de humanas e linguagens, tem maior enfoque na interpretação de texto”, analisou.

Diante da demanda, a estudante relatou que passou a praticar a interpretação de texto e estudar os conteúdos recorrentes para fazer as questões no mínimo de tempo possível. Uma outra estratégia utilizada por ela foi administrar melhor o tempo, o que também foi um facilitador para a redação, uma vez que conseguiu se acalmar e pensar com clareza nos repertórios que poderiam ser utilizados.

A redação do Enem conta com cinco competências para compor a nota final, sendo elas o domínio da escrita formal da Língua Portuguesa, ou seja, estar de acordo com as regras de ortografia; compreender o tema e não fugir da proposta da redação, que avalia a capacidade do candidato para compreender a proposta, redigir o texto dentro da estrutura dissertativa e utilizar repertórios socioculturais; organização de ideias, em que o estudante deve escrever um texto com clareza de ideias e argumentos, justificando a posição em relação ao tema proposto; coesão e coerência, que avalia o candidato na organização textual; e a proposta de intervenção, em que o candidato deve apresentar uma iniciativa para enfrentar o problema proposto.

Camilla Bianca conta que o consumo de literatura e cinema facilitou a escolha dos repertórios. “Optei pelas obras ‘Vidas Secas’, de Graciliano Ramos, e a serie espanhola da Netflix, ‘As Telefonistas’. Ademais, também utilizei o censo de 2022 do IBGE [Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística], que diz que as mulheres constituem a maioria populacional, juntamente com o repertório coringa de Friedrich Hegel: ‘O Estado tem o dever de proteger seus habitantes’”, relatou.

Jackeline orienta ainda que os alunos enxerguem o Enem como uma prova normal, levando com muita seriedade. “É preciso ler a coletânea atentamente, fazer marcações das ideias principais de cada texto, pensar nas coisas sabe sobre aquele tema e nos argumentos que ele pode defender, e fazer um projeto de texto, estruturando cada conteúdo em seu parágrafo. Após, iniciar a escrita”, afirma.

“Para além do conteúdo, é imprescindível que eles entendam a estrutura do texto que está sendo exigido. É preciso que eles saibam exatamente o que deve ser posto em cada período de cada parágrafo, para que consigam desenvolver um texto claro e argumentativo”, orienta Jackeline.

De acordo com a professora, a ausência desses fatores, faz com que os alunos desenvolvam textos caóticos, com argumentos não desenvolvidos e partes incompletas. “Isso não quer dizer que ele não tenha que estudar temáticas, melhorar a habilidade de escrita. Mas, sem estrutura, tudo isso será prejudicado no final”, diz.

Tema da redação

Apesar de o tema da redação do Enem 2023 ter gerado insegurança em alguns estudantes, Camilla Bianca contou que não foi um problema. “Lembro que, assim que abri a prova, fui direto olhar o tema da redação e fiquei tão contente que senti até uma paz interior”, afirmou

De acordo com ela, a preparação em sala de aula foi fundamental para que ela tivesse o bom desempenho na redação. “Sou muito grata pelos professores de linguagem que tive, especialmente a Jackeline, professora de redação, que bateu tanto na tecla com temas voltados à desigualdade de gênero ao longo do ano. Então assim que olhei o tema, já sabia exatamente o que pensar e como organizar as minhas ideias”, disse ela, se atentando às competências propostas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Sobre o tema, Jackeline disse ter ficado feliz com o tema. De acordo com ela, foi uma temática pertinente e que foi amplamente debatida em sala de aula.

“Fiquei muito feliz com o tema de 2023. Como sempre o Enem nos surpreende com temas de extrema importância e, muitas vezes, pouco debatidos. Consequentemente, isso faz com que a sociedade jogue luz sobre essas temáticas.  Sobre o tema, eu o achei muito pertinente e tranquilo para os alunos desenvolverem porque a temática de desigualdade de gênero foi amplamente debatida em sala de aula, tanto nas minhas aulas, quanto nas dos outros professores. Ao conversar com eles após a prova, percebi que se sentiram confiantes quanto ao tema exatamente por ter sido muito discutido”, disse.


Leia mais sobre: / / / / / / Brasil

Maria Paula

Jornalista formada pela PUC-GO em 2022 e MBA em Marketing pela USP.