24 de maio de 2022
Cidades

Empresas querem subsídio para sair de déficit de R$43 mi

A proposta das empresas do transporte coletivo para anular o impacto crise financeira é o subsídio do Governo do Estado e das prefeituras da região metropolitana para as passagens gratuitas. O valor equivale a R$12 milhões por mês, segundo dados do estudo de sustentabilidade do transporte coletivo.

Segundo Décio Caetano, vice presidente do Sindicato das Empresas do Transporte Coletivo (SETRANSP), o subsídio garantirá  a manutenção da passagem no valor de R$2,70, até a próxima revisão tarifária.

Continua após a publicidade

Hoje, quase 20% dos usuários do transporte coletivo da região metropolitana embarcam de forma gratuita.

Estudo

O SETRANSP encomendou um estudo denominado “Sustentabilidade do Transporte Público – Impacto do Desequilíbrio Contratual” para demonstrar a crise em que as empresas estão mergulhadas por causa do cancelamento do reajuste de junho passado.  Segundo a entidade, a tarifa de Goiânia deveria ser de R$3,12.

Continua após a publicidade

O documento produzido pelo SETRANSP foi entregue à Companhia Metropolitana do Transporte Coletivo (CMTC) na quarta, 28. O PROCON/GOIÁS, o Ministério Público e as estruturas de gestão e controle do sistema receberão nos próximos dias.

Leia mais sobre:
Cidades