22 de maio de 2024
Destaque • atualizado em 13/05/2021 às 11:41

Em live, prefeito de Nova Veneza comprova que ex-prefeita sabia da instalação do aterro

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Após repercussão e manifestação de moradores para tentar barrar o projeto de instalação de um aterro sanitário entre os municípios de Nova Veneza e Brazabrantes, para abrigar lixo de seis municípios, o prefeito Costa (DEM) de Nova Veneza, promoveu uma live, na noite desta quarta-feira (12), para prestar esclarecimentos. Com documentos, foi comprovado que a ex-prefeita Patrícia Amaral assinou atas de escolha da área e que sabia da desapropriação da área definida.

O chefe do executivo do município, que é contrário à instalação do aterro local, afirma que toda a articulação favorável foi realizada pela gestão anterior da ex-prefeita e exibiu nota oficial dela nas redes sociais. Na ocasião, documentos comprobatórios foram apresentados aos moradores do municípios. 

“Uns 20 dias atrás eu fui procurado pelo Amampa (consórcio dos municípios), me mostraram toda a documentação que se iniciou em 2017, na gestão da ex-prefeita. Mostrou todo o levantamento que eles fizeram, a área, que já estava com licença prévia de instalação”, disse. “Estamos todos empenhados em mudar o local do aterro”, ponderou.

Costa ressalta que o Consórcio foi criado em sua gestão, mas o projeto só caminhou durante o governo de Patrícia. “Nós fundamos, eu, o prefeito de Damolândia e o de Inhumas, fundamos o consórcio em 2013 e não avançou em nada. O consórcio permaneceu em atividade. Foi quando em 2017, na gestão da Patrícia, ex-prefeita, deram o andamento e escolheram a área”, pontuou. 

Em seguida, Costa afirma ter sido procurado por Daniela Padra de Oliveira, proprietária da fazenda que foi desapropriada pela prefeitura de Brazabrantes para a construção do aterro. Presente na live, a moradora fez um apelo para que o decreto seja revogado: “Sr. prefeito de Brazabrantes, o Sr. está cometendo um crime com o nosso município, o Sr. está cometendo uma catástrofe, o fim da economia financeira e ambiental do nosso município. Acorda! Errar é humano, todos nós erramos. Mas dá tempo, corrija o seu erro! Isso é um pedido que eu faço em nome do povo Veneziano”.

Durante a live, Costa apresentou, ainda, uma nota de esclarecimento divulgada pela ex-prefeita de Nova Veneza, em defesa. Confira, na íntegra:

“Venho por meio desta esclarecer os fatos, com responsabilidade e comprometimento com o Município de Nova Veneza e toda a população, uma vez que a cidade esteve sob nossa gestão de 2017 a 2020. Ao contrário do que a atual administração está divulgando nos últimos dias, a verdade é que o Consórcio (Amampa) foi criado em 2013 na gestão do atual prefeito de Nova Veneza, conforme mostra o documento da Receita Federal. Durante a administração 2017/2020 o processo encontrava-se em andamento, em fase de definição a respeito da escolha da área. Estava em curso um amplo estudo técnico e várias áreas estavam sendo analisadas”.

“Vale ressaltar que durante o período de nossa gestão até o final de nosso mandato não havia qualquer decreto de desapropriação de área do município de Nova Veneza para a construção do Aterro Sanitário ou Lixão. Outro dado importante é que não houve também de nossa parte qualquer tipo de concessão ou autorização para estabelecimento do Aterro/Lixão durante nossa gestão”

“Fica evidente na publicação feira no site da Amampa em 22 de abril de 2021 que o atual Prefeito de Nova Veneza, responsável pela gestão 2021/2024, declara seu total apoio à instalação do Aterro Sanitário em nosso município. E concomitante a este fato, o processo de desapropriação da área foi acelerado pelo Prefeito de Brazabrantes. Quando o proprietário do imóvel tomou ciência em 30/04/2021 do decreto de desapropriação de sua área, procurou imediatamente o respaldo do atual Prefeito de Nova Veneza, que afirmou não ter como barrar o processo. Iniciou-se então uma forte mobilização da população de Nova Veneza e pedido de audiência com Vereadores e Prefeito. A audiência ocorreu na Câmara dos Vereadores e, devido à forte pressão popular, houve uma mudança de discurso e sinalização de que lutariam pelos interesses do povo”

“Mais algumas questões ficam: O posicionamento a favor dos interesses do povo deveria ter ocorrido antes de permitir a desapropriação e instalação do Aterro em nosso município. Agora se torna apenas um discurso populista e vazio.”

“Em nossa gestão, de 2017 a 2020, primamos pelo cuidado, responsabilidade e jamais iríamos aceitar uma catástrofe desta proporção. Nosso município jamais viraria um lixão da região, se a influência e decisão estivesse conosco. Ao contrário, somos fortes apoiadores e parceiros na instalação de grandes empresas, que prezam pelo desenvolvimento sustentável, tal como a SS|A Alimentos, que gera emprego e renda e não lixo para nossa população. Agradeço a todos e estamos juntos para impedir que nosso município vire um lixão.”

A reportagem do Diário de Goiás tentou contato com o atual prefeito de Brazabrantes e a ex-prefeita de Nova Veneza, mas não foi atendida. O espaço está aberto a respostas e será atualizado.


Leia mais sobre: / / Cidades / Destaque