17 de agosto de 2022
Operação Acesso Pago

Em ligação à mulher, Ribeiro disse que estava sendo ‘muito bem tratado’ pela PF

O delegado federal Bruno Calandrini, responsável pelo inquérito, disse que o ex-ministro foi recebido com "honrarias" na superintendência e que o "tratamento diferenciado" prejudicou a investigação
Foto: Isac Nóbrega/PR
Foto: Isac Nóbrega/PR

Após ter sido preso na Operação Acesso Pago, o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, ligou para a mulher, Myrian, da Superintendência da Polícia Federal (PF) em São Paulo. No telefonema, que durou cerca de um minuto, ele relatou que foi “muito bem tratado” pelos policiais.

“Muito bem tratado, com muita cortesia até. Muito bem tratado”, disse Ribeiro.

O delegado federal Bruno Calandrini, responsável pelo inquérito, disse que o ex-ministro foi recebido com “honrarias” na superintendência e que o “tratamento diferenciado” prejudicou a investigação.

Continua após a publicidade

Milton Ribeiro foi preso preventivamente na última quarta-feira, 22, em Santos, no litoral paulista, e deveria ter sido levado para ser interrogado em Brasília, mas a superintendência da Polícia Federal em São Paulo alegou questões logísticas e não fez a transferência. Ele acabou recebendo habeas corpus do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região (TRF-1) e foi solto antes de ser ouvido pelo delegado.

No telefonema, o ex-ministro garante ainda que “está tranquilo” e pede orações. “O que é a meu favor, Myrian, é a questão da minha consciência e eu estou bem. Estou tranquilo”, afirma. (Por Fausto Macedo, Rayssa Motta, Julia Affonso e Pepita Ortega/Estadão Conteúdo)

Leia mais sobre:
Brasil